30.3.06

Manias

Manias

"Cada bloguista participante tem de enunciar cinco manias suas, hábitos muito pessoais que os diferenciem do comum dos mortais. E além de dar ao público conhecimento dessas particularidades, tem de escolher cinco outros bloguistas para entrarem, igualmente, no jogo, não se esquecendo de deixar nos respectivos blogues aviso do "recrutamento". Ademais, cada participante deve reproduzir este "regulamento" no seu blogue."

Como a Tia Helo é a campeã das manias aqui vão as top 6 dela.

1- Lavar as mãos cada vez que pega em algum objeto (jornal,bolsa e etc).
2- Conferir minunciosamente a bolsa váarias vezes antes de sair.
3- Conferir váarias vezes se a porta está devidamente trancada ao sair.
4- Documentos que ela considera importantes e já não tem mais valor: rasga em tamanhos minúsculos e joga na privada.
5- Mantem as janelas fechadas e as luzes apagadas para "eles" não reclamarem.
6- Após usar o telefone ,tirá-lo da tomada. Quando ela era mais jovem, bastava um travesseiro em cimado aparelho e a porta do quarto fechada.

As minhas são mais simples (ou pelo menos eu acho que são)

1- Ler revistas e jornais da última página para a primeira.
2- Bater a escova de dentes 3 vezes na pia depois de escovar os dentes.
3- De ler com a tv ligada.
4- De ver 3 programas na tv ao mesmo tempo (se o controle remoto quebra ou acaba a pilha é o fim)
5- Manter os relógios pelo menos 10 minutos adiantados.

Eu vou convocar a Luizinha e a Sue para colocar 5 de suas manias aqui. E quem quiser participar pode confessar aí nos comentários.

25.3.06

Pensamento

Pensamento...

Os australianos podiam fazer um bem a humanidade exportando leitinho de canguru.

19.3.06

Ocean Race

Ocean Race



Já que o banco onde eu deposito o meu din din está patrocinando dois barcos na Volvo Ocean Race, a regata volta ao mundo, eu fui lá na marina ver se o meu dinheiro está sendo bem aplicado nos barquinhos. Barquinhos o ca.....! Super veleiros, isso sim!

Na minha visita eu vi o mastro sendo colocado no barco do Brasil, as quilhas sendo colocadas no Holanda 1, muitos homens lixando, pintando e limpando seus veleiros para a próxima etapa. Hummmm, tem alguma coisa nesses velejadores que me agrada, homens que trabalham com as mãos, pele curtida do sol, mãos calejadas, um certo ar aventureiro....Como disse a Luizinha: Vikings!

E pelos vikings que eu vi fica difícil escolher só um barco para torcer. Vou torcer pelo Brasil 1 só por causa do super simpático Torben Grael, mas o Holanda 2 (patrocinado por mim, mesmo que o meu dinheirinho no banco só compre 2 metros de corda) tem toda a minha simpatia.

Sábado a regata é na Baía de Guanabara. Vou lá ver as velas passeando em frete ao Pão de Açúcar.

15.3.06

Tia Helo reloaded

Tia Helo reloaded

Luizinha está desnorteada. Já não sabe mais quando chega 2 da tarde, seu alarme diário e infalível não pode telefonar, pelo menos por alguns dias. Eu explico.

A Tia Helo não ascende a luz. Tia Helo não abre as janelas. Tia Helo não tomou o remedinho. Tia Helo ficou tonta. Tia Helo caiu. Puf! Não só caiu, mas, como toda tiazinha na idade dela depois de uma queda, quebrou a cabeça do fêmur. É, amigos admiradores da Tia Helo, ela teve que fazer uma cirurgia. Foi tudo bem, ela agora está cimentada e parafusada. Reloaded e pronta para mais aventuras.

Respira fundo Luizinha que já, já esse telefone toca, pontualmente, às 2 da tarde.

6.3.06

E o Oscar foi para...

E o Oscar foi para...

Mais uma vez eu fiquei acordada para assistir a cerimônia do Oscar. Nada de novo, nem as piadas do apresentador eram muito engraçadas (confesso que achei algumas grosseiras), mas 2 coisas valeram a pena.

Uma foi o George Über Clooney. Foi lá, bonito como sempre, simpático, candidato a 3 estatuetas, recebeu uma de ator coadjuvante por Syriana (muito justo) e no discurso mandou essa “acho que agora eu não ganho a de diretor” no maior bom humor. Dez, nota dez!

Outra foi no fim, quando todo mundo esperava que Brokeback Mountain ganhasse melhor filme já que o Ang Lee tinha saído com o Oscar de melhor diretor. Foi uma surpresa geral quando o Jack Sempre Cool Nicholson disse “Crash!”.

Confesso que o meu preferido era Munique, mas o Spielba saiu de lá sem nenhum homenzinho dourado, uma pena.

Agora, alguém pode me explicar o que foram aqueles rappers?? Eu estava assistindo com a tecla SAP e me arrependi de não escutar a tradução simultânea.... duvido que aquela mulher tenha entendido um palavra. Era preciso a tecla SAP da tecla SAP. Mas que eles eram os caras mais animados a receber um Oscar na noite, ah, isso eles eram.

A Tia Helo jogou a TV fora antes das transmissões do Oscar começarem aqui no Brasil. Acho que ela ia gostar de ver todo aquele glamour no tapete vermelho e o George Clooney, óbvio.

1.3.06

+ Filmes

Filmes

Com o Oscar batendo na porta aí vão mais alguns filme que eu andei vendo.

Johnny e June (Walk the line)

Joaquin Irmão do River Phoenix faz o cantor meio bad boy Jonnhy Cash nessa cine biografia. Johnny Cash foi criança pobre, rejeitado pelo pai chato, depois foi casado com uma mulher mais chata ainda que não acreditava no seu talento, tocou com Elvis e Jerry Lee Lewis, se viciou em drogas (também com amigos como Elvis e Jerry Lee) e no meio de tudo isso conheceu June Carter.

Reese Legalmente Loira Witherspoon faz a June, cantora country que sobe nos palcos desde que usava fraldas, engraçada, casada (e divorciada) e certinha.

Jonnhy e June se apaixonam, cantam juntos, mas demora pra ficarem juntos, ela o ajuda a superar o vício e o amor é lindo. Além disso, mostra o famoso show na prisão Folsom e muitas outras apresentações. Uma pequena parte da vida do Johnny Cash.

Eu gostei, os dois atores estão realmente muito bem. Eu gosto do estilo country do Johnny Cash, e da voz grossa dele. Se bem que é o próprio Joaquin Phoenix que canta as músicas, palmas pra ele, que voz bonita. Walk the Line que dá o título original ao filme é muito boa, mas a música do Johnny Cash que eu mais gosto é A Satisfied Mind que nem toca nesse filme, mas está na trilha sonora do Kill Bill 2.

Talvez a Tia Helo gostasse desse filme. Tem música, gente religiosa, repressão social dos anos 50....ela diria 102 “Ai Jesus!” para esse filme.

How many times have
You heard someone say
If I had his money
I could do things my way
But little they know
That it's so hard to find
One rich man in ten
With a satisfied mind


Syriana

Depois de ver Syriana eu vou pensar 10 vezes antes de encher o tanque do carro. O mundo não tem jeito. Só negociações, quem for mais esperto ganha. Aqui, nos EUA e nos países árabes.

O que fazer quando o poder bélico é tão sofisticado que é possível explodir um carro em qualquer lugar do mundo sentado no escritório apertando um botão no joystick? Nem dá remorso.

George Über Clooney faz um agente da CIA que leva as suas missões adiante com a certeza que está fazendo um bem para o mundo. Mas ele quebra a cara, perde as unhas e explode. O pior é acreditar numa causa e saber que foi enganado pela mesma.

É um filme político, lento mas interessante. Mostra que a mesma indústria petroleira que leva dinheiro para os países árabes, também tira empregos, demite trabalhadores locais e as decisões são nas mesas de reuniões dos escritórios a milhares de quilômetros dos poços. E não tem bom nessa história, nem o advogado mor Christopher Von Trap Plummer, nem o consultor ingênuo Matt Gênio Indomável Damon.

Eu gostei, apesar de achar um pouco lento. A Tia Helo não ia gostar, principalmente da cena da tortura...263 “Ai Jesus!” para esse filme.


Orgulho e Preconceito

Jane Austin e Shakespere são dois Ingleses que ninguém cansa de repetir as histórias.

Em Orgulho e Preconceito a mocinha Elizabeth Bennet (uma entre 5 irmãs) é a esperta, intelectual e romântica da história. Ao chegar um rapaz rico no interior onde elas moram a mãe logo propõe que a filha mais velha conquiste o moço, afinal alguém tem que garantir o sustento da família. O tal rapaz chega com a irmã e um amigo, o bonitão e nada simpático Sr. Darcy. O rapaz se apaixona pela irmã mais velha da Elizabeth, mas não propõe casamento e vai embora. Elizabeth se revolta quando sabe que foi o Sr. Darcy que separou sua irmã do pretendente, aí se sucedem muitos mal entendidos e no fim descobrimos que o Sr. Darcy é um príncipe encantado que salva o mundo.

Pensando bem, O diário de Bridget Jones é uma versão moderna dessa história.

É filme de mulherzinha e é muito bom. No cinema que mais curtiu a trama foi um coroa de uns 70 anos que não parava de reagir ao filme (ohhh, ahhhh, hahahahha).

A Tia Helo ia adorar esse filme. Só diria 23 “Ai, Jesus!”.

Match Point

Esse novo filme do Woody Allen já começa com a frase “The man who said “I’d rather be lucky than good” saw deeply into life.”; e com uma imagem clássica da bola de tênis batendo no topo da rede sem definir de lado ela vai cair, ou seja, pode ser sorte ou azar.

A trama é sobre um ex-jogador profissional de tênis que decide ser professor, mas já se vê as suas intenções de subir na vida. Ele se envolve com Chloe irmã de um de seus alunos (que vira amigo), mas tem uma paixão por Nola, namorada desse aluno/amigo/irmão da Chloe. O tenista se casa com Chloe, mas tem um caso com Nola e vai tudo bem, até que um acontecimento ameaça a vida boa que ele conseguiu. A partir daí as decisões dele são uma surpresa e o fim é de um humor trágico que só o Mr. Allen sabe fazer. Sem esquecer todas as referências e homenagens a “Crime e Castigo” do Dosta.

Melhor mesmo é ser sortudo.

Eu gostei muito. Geralmente eu gosto dos filmes do Woody Allen, mas acho que, coincidência ou não, os que ele não participa como ator são os melhores (com exceção Noivo Neurótico, Noiva Nervosa). E os ingleses dão um ar mais sofisticado às histórias. Muito bom mesmo. A bola caiu do lado de lá da quadra para o Woody.

Tia Helo não deve gostar do Woody Allen, homem pequeno, feio, neurótico...sei não...ele deve ser um “deles”. Ela diria 215 “Ai Jesus!” para esse filme.