28.8.13

Letras pequenas

Com a idade a gente ganha experiência, mas perde outras coisas. Uma das piores, para mim, é essa coisa de não enxergar mais direito. As letrinhas vão ficando embaçadas e o braço não é comprido o suficiente para afastar o papel até uma leitura satisfatória. Ainda não preciso de óculos, mas meu dia de Mr. Magoo chegará.

Para o meu primo André já chegou. Nós estavamos no Jardim Botânico, paramos para um lanche e na mesa tinha aqueles pacotinhos de sal, açúcar e adoçante. No que o André me diz:

- Achei legal que no restaurante que fomos tinha pacotinho de parmesão.

- Parmesão???? Nunca vi.

Passaram alguns dias e ele me contou:

- Sabe aquele dia que fomos no Jardim Botânico? Pois é, fui pedir açúcar para o homem, ele me deu esse pacotinho e eu disse que isso era parmesão.

- HAHAHAHAHAHAHA!

- O homem fez uma cara de "esse aí é maluco" e eu não entendia porque. Esqueci de levar os óculos no restaurante e acabei lendo errado.

O pacotinho de premium parmesão era um desses:



(PS. meu primo mora em Londres e não relaciona essa marca com açúcar)

26.8.13

A semana no Rio

Aqui estão algumas fotos que coloquei no instagram na última semana passeando pelo Rio.

usando o bike rio direto
(poderiam colocar mais bicicletas)
semana começou nublada e fria
frio é bom para guloseimas
meia maratona
a lua cheia apareceu
sol saiu e surf's up
mas a água estava fria
o museu de arte do rio
favelinha de tijolos
escadaria do seleron
fim de tarde lindo
robôs pollock no CCBB 
praia de ipanema com piscininhas
filosofia de muro
enquanto isso na praia vermelha...
fim de tarde espetacular
orquideas do parque lage
surf família no arpoador

19.8.13

Taxista do dia (2)

Ontem peguei um taxi com a minha prima e o motorista era bilingue.

- O senhor pode ir para Rua X, mas ela vai ficar na Y.
- Você quer na praia ou por dentro.
- Tanto faz.
- Se para você whatever, para mim whatever também.

Aí uma senhora estava empatando o trânsito parada no meio da rua, o taxista deu algumas buzinadas e passamos.

- Obrigado querida!.....Vocês notaram que esse meu obrigado foi cheio de veneno e sarcasmo para essa drugstore blonde que está parando o transito.

Um pouco mais a frente um carro estacionado onde não devia.

- People please!!

E claro que ele nos contou sua história de vida.

- Eu era dealer de jóias em En Uai Si (NYC), you know dear?

Claro que pegamos o telefone dele para futuras corridas.

18.8.13

Meia Maratona do Rio 2013

Em 2010 eu corri, foi lindo, mas esse ano fui só assistir e dar uma forcinha para os 19 mil corredores que encararam frio e chuva para correr os 21km.

frio no inverno carioca
primeiras mulheres passando (as profissionais
largam 15 minutos antes)
o cadeirantes também largam antes
e lá vem o primeiro lugar masculino
seguido de perto pelo segundo
o resto começa vir um pouco mais atrás

the flash (ou não)

o fluxo de gente começa aumentar

tem índio
por uma causa
homem planta
avenida atlântica cada vez mais cheia
chapolin e kiko
esse tiozinho parava a cada 10 metros
e dava uma reboladinha
pre-pa-ra!

Os corredores do Quenia venceram com Geoffrey Mutai no masculino e Nancy Kipron no feminino. Como correm!

17.8.13

Taxista do dia

Uma das coisas boas do Rio é que o taxi não é tão caro e tem muitos em todo canto. Os motoristas são uma caso a parte, as vezes escutamos verdadeiras pérolas quando decidem ser simpáticos. Alguns até tem uma veia para o stand up. Já até escrevi um post sobre os tipos de taxistas que peguei por aqui.

Ontem peguei um taxi com uma amiga, a motorista era uma senhora na casa dos 60 e poucos, e, segundo ela, com 34 anos de praça. No meio do caminho ela começa sua história do dia:

- Ontem descobri uma profissão que eu nem sabia que existia. Gente que compra apartamento fechado.
- Como assim?
- Alguém quer esvaziar um imóvel e a pessoa compra tudo dentro de uma vez.
- E isso dá dinheiro?
- Ôôôôô se dá! O homem disse que o último que ele comprou custou 5 pilas.
- 5 mil todos os móveis e tralhas??
- Isso. Aê, minha amiga, além de revender as coisas, imagina o que esses caras não encontram dentro das gavetas, escondido nos móveis? Tem muitos velhinhos que escondem dinheiro, jóias, etc e esquecem de contar para a família. Aí os herdeiros querem se livrar das quinquilharias e nem olham direito. Os caras que compram se dão bem pracarai! (sim, a tiazinha de 60 e poucos falou "pracarai!") Um deles disse que tinha achado um anel de diamante. Ahhh o que eu comprava com a grana de um anel desses....

Todos revirando as gavetas nesse momento.

1.8.13

Analisando a música: Money For Nothing (Dire Straits)

A idéia de analisar uma música do Dire Straits veio de uma conversa no whatsapp com o Luiz e o Rafael.

O Luiz disse que estava lendo "Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes!", o quarto volume da ótima série O Guia do Mochileiro das Galáxias do Douglas Adams, e se deparou com uma parte que fala do Dire Straits e tem o seguinte trecho: "Mark Knopfler tem um talento extraordinário para fazer uma guitarra Schecter Custom Stratocaster cantar e uivar como anjos no sábado a noite, exaustos de serem bonzinhos a semana toda e precisando de uma cerveja forte."

Douglas Adams é genial. E me lembrei que gosto do Dire Straits, mesmo não escute com frequência (a não ser quando toca algum flashback no rádio).

O Dire Straits é uma banda britânica formada em 1977 por Mark Knopfler, seu irmão e mais dois caras. (Vamos ser sinceros, todo mundo só lembra do nome do Mark Knopfler mesmo) Logo no primeiro album, em 1978, fizeram sucesso com Sultans of Swing, que resiste bem ao tempo. O Mark Knopfler, além de exímio guitarrista (detalhe: ele toca sem palheta), tem uma voz grave, gostosa, e quase que narra as letras das músicas.

Não sei o que aconteceu com a banda depois de 1985. Gosto do terceiro album Making Movies, de 1980. Tem Romeo and Juliet, Tunnel of Love e Expresso Love.

A música analisada da vez é do quinto album, Brothers in Arms, de 1985, o album de maior sucesso da banda. Está até no Guinness World Records como o primeiro CD a vender um milhão de cópias (e popularizou o formato CD. Bye bye vinil...oh, wait!). Brothers in Arms é um ótimo album, tem a sexy So Far Away, a animada Walk of Life, Your Latest Trick (tem um saxofone trilha sonora de motel mas é boa) e a bonita Brothers in Arms (que tem um video bacana).

Reza a lenda que o manager da banda perguntou aos executivos da MTV o que eles precisavam fazer para entrar na grade do canal e fazer sucesso nos EUA. A resposta foi: fazer um hit e contratar um dos top diretores para o video. Mark Knopfler fez exatamente isso, e ainda usou o nome do canal na música.

Money for Nothing foi composta pelo Mark Knopfler enquanto ele estava numa loja de eletrodomésticos e escutou a conversa de dois caras que estavam ali montando uma cozinha. Então ele canta a música como se fosse um dos caras (inclusive, muitas frases são o que os caras disseram de fato). O riff de guitarra dessa música é um clássico.

Não sei se o Sting estava na loja, mas ele deu uma mãozinha na composição e ainda cantou algumas partes. (Eu coração Sting.)

É uma música sobre a inveja, esse monstro que corrói até o homem que carrega geladeiras.

I want my MTV

Eu quero a minha MTV... Na época que essa música foi lançada a MTV americana tinha 4 anos de idade (aqui no Brasil só foi aparecer em 1990), ainda era um canal que mostrava tendências e todo mundo queria estar lá, inclusive o Dire Straits.

Now look at them yo-yo's
That's the way you do it
You play the guitar on the MTV
That ain't working
That's the way you do it
Money for nothing and your chicks for free

Então, dois carregadores estão trabalhando, olham para as TVs na loja, que estão ligadas na MTV, e um deles resolve comentar: "Olha esses manés, é isso tem que fazer, tocar guitarra na MTV. Isso lá é trabalho!?! É assim que se faz, ganhar dinheiro por nada e as quenga de graça." (O carregador na versão da análise é um pouco cearense.)

Let me tell ya, them guys ain't dumb
Maybe get a blister on your little finger
Maybe get a blister on your thumb

"Macho, deixa eu te falar, esses fuleirage não são bobos. Mimimi um calo no dedinho, mimimi um calo no dedão."

We've got to install microwave ovens
Custom kitchen deliveries
We've got to move these refrigetratos
We've got to move these color TVs

"E a gente aqui tendo que instalar forno, cozinha, transportar geladeira e tv a cores." Pausa. Essa música é da época que ainda tinha opção de comprar TV em preto e branco. O_O

See the little faggot with the earring and the make up
Yeah, buddy, that's his own hair
That little faggot got his own jet airplane
That little faggot is a millionaire

A inveja é ótima para trazer a tona os preconceitos. Na música, pelos comentários, os carregadores são homofóbicos e machistas. "Tá vendo aquele baitola com brinco e maquiagem? É, macho, é o cabelo dele de verdade. Aquele baitola tem seu jatinho particular, o bichinha é milionário."
Essa música foi proíbida no Canadá por essa parte que contem palavras pejorativas, criaram uma versão sem essa estrofe, mas já voltaram atrás na decisão. Polêmica. O Mark Knopfler disse que é uma música escrita do ponto de vista de uma pessoa estúpida o que o leva a fazer comentários ignorantes.

We got to install microwave ovens
Custom kitchen deliveries
We've got to move these refrigetratos
We've got to move these color TVs

E lá vão eles carregar as geladeiras, TVs a cores, instalar cozinhas.... Bem feito.

I shoulda learned to play the guitar
I shoulda learned to play them drums
Look at that mama, she got it stickin' in the camera
Man we could have some
And he's up there, what's that? Hawaiian noises?
Bangin' on the bongos like a chimpanzee
That ain't working, that's the way you do it
Get your money for nothing and your chicks for free

"Tá vendo, macho, eu deveria ter aprendido a tocar guitarra, ou tocar bateria. Olha ali aquele pitéu se mostrando na camera! Macho, bem que a gente poderia ter uma dessas. E o que é aquilo? O cara está batendo nos tambores como um chimpanzé! Isso não é trabalho, trabalho é outra coisa, isso é dinheiro fácil e as raparigas na faixa." Pois é, se o carregador deixasse de ser invejoso (homofóbico e machista), e tivesse aprendido a tocar sanfona, poderia estar  fazendo sucesso com sua banda de forró.

We got to install microwave ovens
Custom kitchen deliveries
We've got to move these refrigetratos
We've got to move these color TVs

E por isso vai continuar carregando as geladeiras, TVs a cores, instalando microondas....

Listen here,
That ain't working, that's the way you do it
Get you money for nothing and you chicks for free
Money for nothing, chicks for free
Look at that, look at that

"Escuta aqui, isso não é trabalho, é dinheiro por nada e garotas de graça." Essa cobiça não leva a nada. Fica a dica.

I want my MTV

Vai continuar querendo a MTV. Desse jeito nem VJ ele consegue ser.


O video de Money for Nothing foi um dos primeiros a usar computação gráfica. Os caras do video parecem Mario e Luigi feitos de tvs, e ficou bacana.