28.12.06

Lagostão updated

Lagostão updated








Aqui estão três fotos do lagostão, agora renovado com um palco para micos ou meditação (como preferir), também conhecido por ‘gazebo’ pela sua acústica(testada e aprovada). Os artistas dos quadros são Pedro, eu e Chiara, participantes ativos do PAB (projetos artísticos da Beth).

Para mais fotos da Casa do Inglês é só ir aqui.

O ano novo é lá, boiando muito, com a tradicional fogueira.

Lema para 2007: não perder oportunidades.

Feliz Ano Novo para todos!!

27.12.06

Outras Tias 3

Outras Tias 3

Tia Helo está em boa companhia aqui no blog com a Tia Maura e a Tia Angelina.

Agora é a vez de uma Tia internacional entrar na roda, direto da Suécia.

É a Tia Inger-Johanne. Ela é tia do namorado da minha prima.

Tia Inger-Johanne só teve um namorado antes dos 17 anos, não durou muito e ela resolveu cuidar da vida e entregar seu amor a Jesus, assim como a Tia Helo. Só que a Tia Inger-Johanne canalizou sua energia para montar uma rede de farmácias as quais ela comandava com muita competência e seriedade. Segundo seu sobrinho ela sempre foi bastante assediada pelos suecos, mas sempre preferiu o trabalho e seu querido Jesus. (a Tia Helo ia gostar tanto dela)

Acontece que aos 75 anos Tia Inger-Johanne decidiu que já tinha trabalhado demais, vendeu suas farmácias e foi passear pela Europa. Numa dessas viagens pela República Tcheca ela conheceu um viúvo sueco e eles se apaixonaram.

Ela agora namora o tal vovozinho, adotou e foi adotada pela família dele. Ele a pediu em casamento. Só que a Tia Inger-Johanne descobriu o que é bom, acha que a vida está boa demais e está pensando se vale a pena o casório.

26.12.06

E o natal foi assim...

E o natal foi assim...

Para resumir o natal desse ano passo a palavra para o Tio Bode que as 3 da tarde do dia 25 com muita fome soltou essa:

"Minhas tripas perguntaram para a minha língua se os dentes estão de greve."

Lá vem o ano novo!!



(Já, já novas fotos do lagostão)

20.12.06

DoubleOseven - Cassino Royale

DoubleOseven – Cassino Royale

Primeiro veio Sean Connery, que tinha um certo ar estivador com charme. Pulando George Lazenby e indo direto para Roger Moore: o engraçadinho. Passa Timothy Dalton e vamos para Pierce Brosnan o lindão classudo e um pouco sacana(delícia).

Daniel Craig, outro que também tem um ar estivador, bebeu da fonte dos três e ainda trouxe mais testosterona para o espião que ama todas. E fez desse James Bond o mais macho-que-é-macho de todos. Muitas palmas para ele!!

James Bond corre pra caramba, bate pra caramba, apanha pra caramba, sangra, faz besteira, leva bronca da M, se apaixona (pela primeira e ultima vez) e até desfila o corpinho super sarado no mar do caribe....

A Bond Girl da vez é Eva Green que faz Vesper Lynd, a mulher da vida de Bond, e ela é linda.

Esse filme conta o começo da carreira de James como zero zero, e como ele se mete numa teia de terroristas, financiadores, e numa jogatina de pôquer. Tudo isso com perseguições espetaculares e muito humor bondiano (adoro!).

Senti falta de três coisas clássicas do Bond: Ms. Moneypenny, Q, e as mulheres da abertura. O resto está todo lá.

Tem que ver, não vou contar mais.

Bem, só o meu diálogo preferido:

Vesper: mesmo que só tivesse sobrado seu sorriso e seu dedinho você ainda seria mais homem do que todos que eu conheci.

JB: é porque você sabe o que eu posso fazer com o meu dedinho.

Bond, James Bond.... macho-que-é-macho até o dedinho.

A Tia Helo ia querer um martini, shaken and stirred, e ainda assim diria 245 “Ai, Jesus!” para esse filme, principalmente na cena da tortura “um pouco mais para esquerda” ahhahahahaha!

16.12.06

Love songs

Como é fim de ano, natal e tal, meu presente para os 5 leitores do blog é mostrar um pouco do meu lado romântico. Geralmente eu deixo os assuntos do coração para a Luizinha, mas vou expressar o meu raro romantismo numa lista (afinal eu adoro um momento TOC) das top 8 músicas que eu acho mais românticas (em inglês), aquelas que eu gostaria que fossem escritas ou cantadas para mim.

1 Something
Quem: Beatles
Album: Abbey Road
Escuto desde: não lembro, está na genética inglesa
Porque eu gosto: os Beatles sabem tudo de amor, afinal "all you need is love", e essa é minha preferida porque foi uma das poucas compostas pelo George e tem uma letra linda "something in the way she knows, and all I have to do is think of her". Perfeita.

2 Every Little Thing She Does Is Magic
Quem: The Police
Album: Ghost In The Machine
Escuto desde: 1982 quando o Police veio tocar no Brasil
Porque eu gosto: ao contrá¡rio de Every Breath You Take, que é muito possessiva, essa é mais alegre, é uma declaração linda e o amor as vezes é tí­mido: "Though I've tried before to tell her, Of the feelings I have for her in my heart, Every time that I come near her, I just lose my nerve as I've done from the start. Every little thing she does is magic, Everything she do just turns me on".

3 There Is a Light That Never Goes Out
Quem: The Smiths
Album: The Queen is Dead
Escuto desde: 1986
Porque eu gosto: adoro a voz melancolica do Morissey, é uma música animada sem ser, e o amor pode ser um pouco triste: "To die by your side, well, the pleasure, the privilege is mine", super romântica.

4 Just The Way You Are
Quem: Billy Joel
Album: The Stranger
Escuto desde: década de 80
Porque eu gosto: ela é simples, direta ao ponto, e tudo que uma mulher quer escutar, Mark Darcy provou isso quando disse "I like you just as you are" para Bridget Jones. É uma das favoritas da Beth. "You'll always have my unspoken passion, although I might not seem to care....I love you just the way you are" com solo de sax cafona porque o amor também é brega.

5 Your Song
Quem: Elton John
Abum: Elton John
Escuto desde: meu primeiro disco na vida foi um compacto do Elton John, Your Song de um lado e Don't Go Breaking My Heart do outro.
Porque eu gosto: ahh, essa música é um clássico. Assim como o amor, não dá nem para enjoar. "How wonderful life is while you're in the world", não fica melhor do que isso.

6 I've Got You under My Skin
Quem: Frank Sinatra
Album: qualquer The Best Of....
Escuto desde: essa eu não lembro
Porque eu gosto: cantada pela voz macia do Frank "I've got you deep in the heart of me, so deep in my heart that you're really a part of me, I've got you under my skin", é muito romântica, para dançar de rosto colado e algumas piruetas. O amor é clássico assim como uma canção do Cole Porter.

7 Bohemian Like You
Quem: Dandy Warhols
Album: Thirteen Tales From Urban Bohemia
Escuto desde: 2004 quando ganhei um cd de quem sabe do que eu gosto e tinha essa musica gravada.
Porque eu gosto: é alegre, é dançante (sim, músicas românticas podem ser dançantes!), é uma cantada divertida e o amor também pode ser moderno como na letra "I'm feeling so bohemian like you...it's you that I want so please, just a casual, casual easy thing".

8 Thin Air
Quem: Pearl Jam
Album: Binaural
Escuto desde: 2000
Porque eu gosto: o Pearl Jam não tem músic'as românticas, elas são mais do tipo corta-os-pulsos, mais para break-up do que make-up. Thin Air pode ser considerada quase romântica: "And I know she's reached my heart in thin air...". Não sei dizer exatamente o que eu gosto nessa música, deve ser porque eu a-d-o-r-o a voz grave do Eddie Vedder e lá pela metade da música ele geme de leve umas três vezes antes de entrar o baixo...ai,ai....inexplicável como o amor.

15.12.06

Seis graus de separação

Seis graus de separação

Dizem que estamos separados de qualquer outra pessoa no mundo pro até no máximo outras 6, ou seja, o amigo, do amigo, do amigo, do amigo, do amigo, do meu amigo.

Aqui em Fortaleza o Sávio diz que é só um grau de separação entre qualquer um, e o link é ele. Se não for ele é o Ney, ou a Bi, ou a minha prima Marly.

Semana passada eu descobri que entre eu e o grande tenista Roger Federer só tem um grau de separação....vou voltar a treinar meu backhand, a minha chance de desafiá-lo aumentou consideravelmente.

10.12.06

Anotações do domingo

Anotações do domingo

- Nesse fim de semana eu vi três clássicos da sessão da tarde: Top Gun, falem o que quiserem desse filme mas adoro o Tom Cruise pré-maluco achando que é gente e pilotando aviões de milhões de dólares, além daqueles homens bonitos jogando vôlei de praia seminus. O Feitiço de Áquila, um dos filmes mais românticos que já vi, adoro aquela história dele ser lobo e ela um falcão, e ainda tem o divertido Matthew Broderick, o que me leva ao próximo filme. Curtindo a Vida Adoidado, filme que todo mundo queria ser amigo do Ferris Bueller, garanto incentivou muita gente a matar aula, e Ferrris cantando Twist and Shout é uma delícia.

- O Pinochet subiu no telhado e bateu as botas... eu achava que ele já tinha morrido. Pelo tanto de coisa ruim que ele fez vai arder no mármore.

- Já que o Elton John não vem resolveram chamar a Rita Lee para o show do dia 20 de janeiro em Copacabana.

- Fiquei sem carro esse fim de semana, quebrou a repimboca da parafuseta, ou algo parecido, que vai custar caro. Fortaleza sem carro sucks, apesar de tudo ser perto, ninguém anda na rua (na Aldeota), os ônibus são uma confusão só e o táxi é mais caro que no Rio. Cidades onde um carro é dispensável (experiência própria): Rio, NY, Barcelona, Londres, Paris, Amsterdã, Sydney, Munique...mais alguma sugestão?

- Também assisti Vanilla Sky mais uma vez (aliás o Cameron Crowe é um gênio para trilhas sonoras). Dessa vez a maluca da Julie Gianni ganhou um pouco da minha simpatia, só que ficar correndo atrás do Tom Cruise, que claramente não estava afim, é besteira, eu ficava com o Jason Lee (mas aí não ia ter filme). Open your eyes.

- Vi o trailer do 007 novo e não perco esse filme por nada.

- Essa é para a prefeita da cidade: não aguento mais esse projeto de música autoral no anfiteatro aqui em frente de casa, é a tortura musical do domingo. Sem comentários para o jazz inicial (não tem cotonete que limpe a sujeira), e os convidados bem que podiam cantar alguma coisa conhecida no repertório. A minha impressão é que sempre estão tentando imitar alguém da mpb com músicas desconhecidas. Sem contar os desafinados. Desci para ver duas vezes e desisti. Bandas cover já!

4.12.06

+ Filmes

+ Filmes

Pequena Miss Sunshine

Que ninguém é normal todo mundo sabe, mas que os outros são estranhos, ah, isso eles são.

O filme é sobre uma família de pessoas estranhas, mas normais. A mãe preguiçosa que gosta de servir o jantar, que ela trouxe num balde de papelão, em pratos descartáveis e copos que ela ganha nas promoções do McDonald’s. O pai é um otimista que se preocupa tanto em ser um vencedor que acaba sendo um loser. O tio é um gay suicida que foi abandonado pelo namorado, e ainda é um expert em Proust. O avô é viciado em heroína, e por ser velho acha que tem todo direito. O filho não fala há nove meses, se comunica por um caderninho e é fã de Nietzsche. A filha é uma fofa, uma garotinha pançudinha de óculos fundo de garrafa que quer ser miss, e não enche o saco de ninguém.

É por ela que a família faz um road trip numa kombi. Olive (a garotinha) tem que ir a Califórnia participar do tal Miss Sunshine. A mãe tem que ir com ela, e o avô também porque foi ele que criou a coreografia da garotinha. Só que os três não cabem no carro pequeno. Aí o pai diz que vai dirigindo a kombi, mas a mãe não quer deixar o tio suicida com o filho mudo. Então vão todos.

Tudo acontece nessa viagem, mas eles chegam ao destino e no meio daquelas meninas maquiadas, com cabelos cheios de laquê (mini freaks), Olive dá um show – pelo menos pra mim foi impagável, adorei!

E esse filme é que nem essa família, é o que é, e é diversão garantida.

A Tia Helo diria 63 “Ai, Jesus!” para esse filme. Ela não ia gostar muito do avô decadente, mas ia adorar a garotinha.


A Fonte da Vida

Novo filme de Darron Aronofsky, o mesmo de “Réquiem para um sonho” (filme muito bom sobre drogas).

Nesse filme ele conta a história de Thomas (Hugh Wolverine Jackman) um médico neurocirurgião cuja esposa, Izzy (Rachel Weisz), está morrendo com um tumor no cérebro. Tommy tem dificuldades em aceitar a morte da esposa (me parece que essa é uma dificuldade comum entre os médicos, vide o Doutor Jack do Lost que não aceita a morte de ninguém) e perde o tempo que poderia estar com ela buscando uma cura.

Izzy, que sabe que vai morrer e aceita seu destino, escreve um livro sobre um conquistador espanhol (também Hugh) que busca a árvore da vida (que dá imortalidade) a pedido da rainha Isabel (também Rachel). O conquistador encontra a pirâmide escondida, mas tem um obstáculo pela frente, e Izzy não termina sua história antes de morrer.

Pelo o que eu entendi, Tommy testa os efeitos de uma nova droga feita com de uma planta da América Central (entenderam? A tal árvore da vida) primeiro num macaco, e depois nele mesmo porque ele aparece no futuro boiando numa bolha com uma árvore dentro, indo em direção á uma nebulosa (xibalba ou shibalba para os maias). Nesse futuro o passatempo dele é comer pedacinhos da planta e fazer tatuagens que, pra mim, eram círculos no braço indicando tempo de vida, com uma árvore.

Ou seja, ele demorou 1000 anos (entre o conquistador espanhol e o buda careca do futuro) para aceitar a morte.

Hugh Jackman, australiano macho-que-é-macho, está muito bem, nenhuma lembrança dele como o mágico do Grande Truque ou mesmo do Wolverine.

Só não gostei muito dos efeitos anos 70 da nebulosa, sei lá, ficou muito hare krishna.

A Tia Helo não ia gostar desse filme. Bom, pensando bem, talvez ela gostasse do inquisidor espanhol. Mas seriam pelo menos 153 “Ai, Jesus!” nesse filme.

3.12.06

Bicampeão!

Bicampeão!



Parabéns a seleção masculina de vôlei pelo bicampeonato mundial!!

O volêi brasileiro é destaque mundial tem mais de 20 anos. Começou naquela geração de prata da qual fez parte o Bernardinho (em 84) e só evoluiu. Na quadra e na praia. É a combinação de planejamento, talento, profissionalismo e investimento. Eles são a prova de que tem brasileiro que sabe sim trabalhar em grupo. Claro que um comandante como o Bernardinho ajuda muito.

A final contra Polônia foi fácil, os bebês poloneses ainda vão dar trabalho, mas não foi dessa vez.

O melhor foi o pódio. Polônia em segundo, Bulgária em terceiro e um festival de homens bonitos do leste europeu.

2.12.06

Homens x Mulheres

Homens x Mulheres

Ele (hum, olha aquela gostosa): Oi!

Ela (ah! o garoto simpático da semana passada): Oi!

Ele (hum.....gostosa): Tudo bem?

Ela: Tudo.

Ele (ela parou para conversar...deu mole): blá, blá, blá

Ela (que simpático): blá, blá, blá

Ele (ela deu mole): blá, blá, blá

Ela (que piada sem graça): hahaha!

Ele (ela riu, deu mole): blá, blá, blá

Ela (que ponto de vista interessante): blá, blá blá

Ele (ela continua dando mole): blá, blá, blá

Ela (ai que fofo): blá, blá blá

Ele (deu tanto mole!): blá, blá, blá

Ela (eu preciso ir embora): então tá...

Ele (é agora!): Te ligo mais tarde?

Ela: hã?