9.12.17

Arcade Fire

Gosto bastante da Arcade Fire, tanto que fiz dois posts aqui no blog: um sobre o video de We Exist e o outro é o analisando a música de Everything Now.



Assim que anunciaram que viriam para o Rio de Janeiro nesse novo tour da banda comprei um ingresso.



O show inicialmente seria em uma das novas arenas do Parque Olímpico e eu estava disposta a ir até São Paulo a Barra da Tijuca. Não sei o que aconteceu mas transferiram o show para a Fundição Progresso que tem lotação de 5 mil pessoas e fica na Lapa.

Adorei essa mudança por dois motivos: é mais perto de casa e num lugar menor o show é muito melhor (você vê de perto e escuta melhor).

A banda antes do Arcade Fire foi a colombiana Bomba Estéreo que eu não conhecia e gostei.

O Show do Arcade Fire foi desenhado para ser em uma arena mesmo. O palco é um ringue de boxe com cordas e aquele telão quadrado em cima. Na Fundição ficou um meio ringue e ficou ótimo!

A iluminação desse show é espetacular.



A banda é sensacional ao vivo. Tocaram todas as músicas que eu mais gosto (Go Cars Go, Ready to Start, We Exist, Put Your Money On Me, Everything Now), tocaram Reflektor  a música que gravaram com o David Bowie e dedicaram o show a ele, e tocaram várias outras que fizeram o público dançar, pular e cantar.



O Will Butler deu algumas voltas no meio do público e até meu amigo Luiz apertou a mão dele.

Terminou com a banda saindo do palco no meio do público com os músicos tocando como se fosse um bloco de carnaval.

Olha Arcade Fire, voltem sempre, quero vê-los ao vivo outras vezes.


6.12.17

Liga da Justiça

Depois do Homem de Aço, de Batman x Superman e do ótimo filme da Mulher Maravilha temos todos juntos.



(Teve o Suicide Squad no meio mas esse filme é tão ruim que é melhor nem mencionar)

No Batman x Superman eles enfrentaram um monstro megalomaníaco meio ET meio sei lá o que e para matar o bicho o Superman teve que morrer.

Aí o Batman ficou (mais) deprimido e em uma de suas caçadas descobriu que outro ser mitológico (ou extra terrestre) está planejando atacar a terra e sozinho ele não dá conta. Especialmente porque ele não tem poder nenhum, só muito dinheiro.

Aí ele bate um fio para a Diana, que está em Paris limpando estátuas e prendendo bandidos de vez em quando, e diz que precisam juntar a turma.

Batman vai atrás do Aquaman e Diana vai tentar convencer o Cyborg. O Flash topou na hora.

O vilão é o Steppenwolf, um ser que quer transformar a terra em trevas e para isso ele precisa de 3 caixas. Uma das caixas está com as Amazonas, a outra está no fundo do mar e a terceira está com os homens. Steppenwolf consegue duas e vai atrás da terceira capturando o pai do cyborg (que usou a caixa para salvar o filho).

A energia da caixa é tão poderosa que eles usam para trazer o Superman de volta. Isso mesmo. Vão lá desenterrar o caixão do Clark Kent, jogam ele num líquido e o Flash liga a caixa com sua super velocidade.

O problema é que Superman lembra que o Batman queria matá-lo e a turminha tem que convencer o ser mais poderoso a se juntar a eles para destruir o Steppenwolf que criou um QG na Russia.

As críticas desse filme eram as piores mas não achei esse filme ruim, foi melhor do que esperava. Tem muitas coisas que poderiam ser melhores? Sim, especialmente aquele efeito tosco que fizeram para apagar o bigode do Henry Cavill.

A Mulher Maravilha é a melhor coisa da DC no cinema, ainda gosto do Batman do Ben Affleck, achei o Flash divertido (nem achei que a piadinhas foram exageradas), Cyborg contribuiu bastante, e gostei to Aquaman, vereio filme dele.

No fim de todas as letrinhas tem uma cena extra que deixou um gancho muito bom para um próximo filme. É só trabalhar nos defeitos desse Liga da Justiça que o próximo pode ser melhor.

A Tia Helô provavelvente gostaria de ver o Superman de volta, ele é bom moço. 215 "Ai, Jesus!" para as tatuagens do Aquaman.

5.12.17

Fábrica Bhering

A Fabrica Bhering é o prédio da antiga fábrica de chocolates (que começou a funcionar em 1880) na zona portuária do Rio de Janeiro.


A fábrica de chocolates agora funciona no interior de Minas Gerais.

O prédio do Rio abriga galerias de arte, lojas e ateliês de pintura, escultura, fotografia e moda.



No primeiro sábado de cada mês tem um evento onde os artistas abrem suas portas e o público geral pode visitar todas as áreas da fábrica.



Tem lojas que funcionam normalmente durante a semana.



Algumas máquinas da fabricação de chocolate ainda estão lá num museu decadente mas que combina com a estrutura do prédio.

para esmagar grãos de cacau


Dentro tem um elevador que depois de um certo número de pessoas no lugar eles fecham e a saída é subir as escadas. São 6 andares até o terraço e de lá tem uma vista para alguns dos prédios novos da área portuária.



É um passeio diferente para fazer na cidade e é sempre bom ver o que está surgindo de novo e criativo.

4.12.17

Florianópolis (4) Campeche

Essa foi a única praia do sul da ilha que fomos. O Campeche também é um bairro com mais estrutura mas não é aconchegante como a Lagoa da Conceição ou talvez a Barra da Lagoa.

praia e ilha do campeche

Tudo no Campeche é uma referência ao Pequeno Príncipe. Na década de 1920 o Antoine Saint Exupery pousava em Florianópolis a caminho de Buenos Aires e conviveu com os pescadores daquela região. Ele era conhecido como Zé Perri.



E é da praia do Campeche que saem os botes que vão para a Ilha do Campeche. Isso mesmo: botes.



A praia do Campeche tem ondas, e surfistas, e por isso para passar pelas ondas só de bote mesmo.

Até a ilha é menos de 10 minutos mas molha bastante.

outro lado da ilha

A ilha é preservada e o único lugar público é a pequena praia com águas cristalinas (e muitos quatis).



Pela ilha é possível fazer trilhas guiadas e tem de várias durações. Nós fizemos uma de uma hora e meia que nos levou até o outro lado da ilha (me senti em LOST) para ver inscrições rupestres e uma perda fincada que achei maravilhosa.

pedra fincada

Gostei de Florianópolis. Faltou conhecer várias praias como: Armação, Matadeira e Lagoinha do Leste (todas no sul doa ilha) e Praia BRava e Costão do Santinho para o norte. Faltou também conhecer as praias do continente como a Praia do Rosa. Ficou para a próxima vez.

água gelada mas ótima!




3.12.17

Florianópolis (3) Jurerê e Santo Antônio de Lisboa

Praias do norte da ilha.

Jurerê é conhecida, praia de beach clubs e baladas. É um bairro que parece suburbio americano (ou condomínio fechado) com casas sem muros.

A faixa de areia é estreita, o mar é sem onda mas é menos frio do que no nas outras praias que fomos. Tinha um paredão de vendedores ambulantes entre os frequentadores da praia e o mar.



Ao longo da praia tem os Beach Clubs que são restaurantes que em algum momento viram boates.

O que achei mais interessante em Jurerê foi o calçadão que fica entre um matagal e as casas. A areia da praia fica depois das plantas.

calçadão de jurerê

Fora isso  achei meio cidade fantasma, mas dizem que no verão pega fogo.

uma pessoa (meu amigo vitor)

Colado em Jurerê tem a Fortaleza de São José da Ponta Grossa. Um forte de 1740 que fica no alto do morro e tem uma vista linda.



De Jurerê fomos até Santo Antônio de Lisboa que é uma pequena vila de pescadores que ainda tem umas 4 casas açorianas. Em Santo Antônio tem muitos restaurantes com vista para o mar (sem ondas) e deve ter um por do sol lindo (mas no dia que fomos estava nublado). De lá dá até para ver a ponte.

2.12.17

Florianópolis (2) Joaquina, Praia Mole e Barra da Lagoa

Essas três praias ficam no leste da ilha na área central. São as praias mais perto da Lagoa da Conceição e são de surf.

A Joaquina é um pico clássico da cidade e é sede de uma das etapas do WCT. Kelly Slater já surfou muito nas ondas de lá.




No alto da praia tem um hotel e alguns restaurantes e biroscas. Na areia pode alugar barraca e cadeira. Mais nada. É para ver o surf.


Na Joaquina também tem um parque de dunas maravilhoso. Do alto da duna dá para ver o mar, a montanha e a lagoa. E é um ótimo lugar para o sandboard.



A Praia Mole é belíssima, e tem esse nome porque a areia é muito fofa. Muito fofa mesmo. Nessa praia tem umas 3 barracas/restaurantes mas para sentar na areia tem os caras que oferecem cadeira e barraca (igual no Rio de Janeiro).

 
caminho para praia mole

Andando para a direita da Praia Mole, depois de endurecer as panturrilhas na areia fofa, tem umas pedras. Do outro lado dessas pedras já é Galheta, a praia de nudismo da ilha.

praia da galheta

E do alto do morro atrás da Praia Mole tinha vários parapents voando.



A Barra da Lagoa já é um bairro propriamente dito: tem casas, lojas, mercado, etc. Nessa praia tem o canal que vai do mar para a Lagoa da Conceição. Inclusive pode ir para o centrinho da Lagoa de barco.

tem surf, mas no dia que fomos as ondas estavam tímidas

A praia é boa, com muito mais barracas e pessoas chamando para sentar.



Na Barra fica o Projeto Tamar que não é muito grande mas tem tartarugas fofas.



E foi na Barra da Lagoa que bebi um caldo de cana com limão que deveria ser obrigatório em todo território nacional.

com limão, por favor.