25.8.16

Diálogo no escuro

Fui no Museu Histórico Nacional para ver a Casa do México nas olimpiadas (que tem duas exposições boas: cerâmicas sorridentes e Frida Khalo) e dei de cara com essa exposição.



Na verdade é uma experiência. Você entra no escuro e é guiado por uma pessoa deficiente visual (que pode ser completamente ou só parcialmente cega) por um caminho totalmente escuro. Você não vê nada, absolutamente nada. Eles dão uma bengala e você segue as instruções do guia.

São três partes. A primeira é o Jardim Botânico onde dá para sentir as folhas das plantas, escutar e pegar na água da fonte, pegar numa estátua, pisar em chão mais mole e cheirar plantas.

A segunda parte é uma feira de artesanato com barracas de coisas variadas que vamos pegando e temos que descrever. Passamos por um letreiro que temos que adivinhar o que está escrito, e, acreditem, não é fácil.

Tem até o momento de atravessar a rua (que achei difícil e estava num ambiente protegido, imagina na vida real?) para o calçadão da praia.

A terceira parte é a praia com sons de ondas, cadeiras de praia, areia, pranchas, tudo para sentir e ouvir. No fim sentamos e temos o diálogo no escuro com o guia que responde todas as perguntas que temos sobre como é a vida de um deficiente visual.

É uma experiência incrível. No início é claustrofóbico e você se sente perdido, mas umas das coisas nessa experiência é confiar no outro. No meu caso tinha que confiar no guia e nas outras 3 pessoas que estavam lá comigo. E falar muito dizendo tudo que está sentindo (no caso escutando, pegando e cheirando).

Vale a pena e vai ficar até outubro. Em São Paulo também tem e fica até dezembro.

pátio do museu


Aproveitando que estava no museu, fui ver a exposição sobre as olimpiadas no México em 1968 e revi todo acervo permanente do museu que é ótimo!


21.8.16

Modo Olimpiadas: OFF

Deu tudo certo. Parabéns a todos os envolvidos na Rio 2016!



Para terminar as Olimpiadas teve muito vento e chuva na cidade mas as pessoas foram as ruas para ver a maratona e estavam presentes nos estádios para as últimas competições. A torcida brasileira é incansável.

O Brasil fechou sua participação na Rio 2016 com medalha de ouro no vôlei de quadra masculino vencendo a Italia. Teve mais festa aqui perto do que quando o futebol ganhou. Acho justo.

A festa de encerramento foi bonita, tudo de muito bom gosto. Começou mostrando o Rio de Janeiro, depois os atletas entraram com muito forró tocando e começou uma fase nordestina da festa. As baianas rendeiras estavam lindas, os bonecos de barro fizeram festa, veio uma homenagem a Burle Marx que mais parecia uma salada e terminou em carnaval. Claro.



O Rio passou a bola para Tokyo e a apresentação dos japoneses foi sensacional. Basta dizer que o primeiro ministro veio através de um buraco cavado lá de Tokyo para o Rio via canos do Mario Bros. Só isso deixou todo mundo com vontade de comprar já uma passagem para as próximas olimpiadas.

vem Mario!


Falando em japoneses, eles estão com um programa olímpico fantástico e se sobressaíram na natação e no atletismo. Os japoneses ficaram em segundo no revezamento 4x100 masculino. Atrás só dos jamaicanos.

Os Britânicos investiram no esporte para Londres 2012 e aqui no Rio 2016 se tornaram uma potência esportiva. Um exemplo a ser seguido.

no encerramento os tenis com luzes dos britanicos
que também tinham
um obrigado nas costas dos casacos


Saudades Phelps e Bolt que disseram ser essa sua última olimpiada. Foi ótimo vê-los em terras cariocas.

Palmas para os atletas brasileiros que ganharam medalhas e para os que não ganharam mas certamente se esforçaram.

Um beijo para os amigos do Twitter, do Instagram e do Snapchat, foi ótimo assistir a Rio 2016 com vocês.

Teve problemas? Teve, mas nada que não teria em outros lugares e nada que atrapalhasse o ótimo andamento do evento.

Dito isso, eu gostei de tudo: das arenas, do Parque Olimpico, do Boulevard Olímpico, da nova linha 4 do metrô, do BRT, dos turistas empolgados, dos cariocas que demoraram mas entraram no clima e das casas dos países. Estar presente em um evento como esse é como ver o Phelps nadando: um privilégio, uma emoção e um prazer.

A cidade ficou em festa por duas semanas.



Foi lindo.



Mas, calma que ainda tem Paralimpíadas!

20.8.16

Está acabando

Amanhã termina a Rio 2016.

Mas até lá ainda tem muita coisa acontecendo.

Hoje fui ver o triatlo feminino em Copacabana e a disputa foi acirrada entre a americana Jorgensen e a suíça Sprig até a penultima volta da corrida. Na última volta a americana disparou na frente e ganhou. Em terceiro ficou a britânica Holland.



De manhã teve Isaquias e Erlon na canoagem de velocidade e eles lideraram a prova o tempo inteiro até os últimos metros quando os alemães passaram. Prata para eles! E foi a terceira medalha do Iaquias nessa Olimpiada!


A noite o taekwondo trouxe mais um bronze com Maicon Siqueira.

A tarde a seleção masculina de futebol finalmente ganhou uma medalha de ouro. Foi um jogo bom contra a Alemanha e foi até os penaltis. Parabéns para os jogadores. Não me animei mais porque agora só vão falar em futebol e naquele jogador babacão que quer ser engolido.

Sei que somos o país do futebol (e gosto, vide a o marcador copa do mundo aqui no blog), mas de 4 em 4 anos os outros esportes (incluindo aqui o futebol feminino) tem uma chancezinha de aparecer e do Brasil saber que existe mundo além do futebol masculino. Essa vai ser a olimpíada que o futebol ganhou ouro como se essa fosse a medalha mais importante. Foi uma das alegrias, só acho que muita coisa mais legal e mais interessante aconteceu.

Amanhã ainda tem a maratona masculina e o volei de quadra, onde o Brasil vai enfrentar a Italia na final.

E vai ter a festa de encerramento.

19.8.16

Triathlon

Há um ano vi o evento teste do triathlon para essas Olimpiadas e hoje fui a Copacabana ver a competição de fato o triathlon masculino.



E tudo correu lindamente.



Estava cheio de gente na areia e nas grades para ver os atletas passando. A organização funcionou muito bem e a torcida compareceu em peso. Palmas para nós.

O britânico Alastair Brownlee venceu, seu irmão chegou em segundo e o sul africano em terceiro.

correndo para o ouro


No meio da tarde as meninas da vela Martine Grael e Kahane Kunze venceram a regata da medalha do 49er FX e ficaram com a medalha de ouro depois de uma chegada emocionante.




No volei de praia Alison e Bruno venceram os italianos num jogo com muita chuva na arena em Copacabana e ficaram com a medalha de ouro.


Bolt, claro, ganhou seu segundo ouro nessa olimpiada. Tricampeão em duas provas. 

18.8.16

Vamos que ainda tem Olimpiadas!

O vôlei (quadra e praia) é o esporte que desde Los Angeles '84 sempre ganhou medalhas para o Brasil (menos em Seul '88). Depois do futebol, é o esporte que tem mais incentivo no país. Tem uma federação forte, tão forte que os seus ex-atletas e dirigentes são todos a base do COB.

Aqui no Rio o volei de quadra masculino chegou as semifinais, o feminino não passou das quartas. Na areia 3 duplas se classificaram para a semifinal: Larissa e Talita ficaram e quarto (perderam apra Walsh e Ross) e Ágata e Barbara ficaram com a prata (jogaram muito bem mas perderam para as ótimas alemãs Ludwig e Walkenhorst). Alison e Bruno vão jogar hoje a final, independente do resultado já é mais uma medalha garantida.



O Isaquias Queiroz arrasou na Canoagem de Velocidade e ganhou uma medalha de prata e uma de bronze (essa numa chegada sensacional).



Não tinha falado da ginástica aqui no blog porque não vi (estava em arenas vendo outros esportes), mas o Zanetti ficou com a prata nas argolas, Diego Hypolito fez um ótimo comeback e também ficou com a prata no solo e o novato Arthur Nory ficou com o Bronze também no solo.


E Bolt? Melhor entertainer corredor de todos os tempos. Ele veio para o Rio ganhar medalhas, se divertir, e proporcionar as melhores fotos dessas Olimpiadas.

eu quando falam que tem bolo de chocolate


Bolt já correu os 100m, ganhou ouro foi tricampeão da prova, e hoje corre os 200m, sua prova preferida.

16.8.16

Volei de quadra

Fui no Maracanazinho ver o volei de quadra duas vezes. Vi feminino e masculino.

Tudo muito organizado na entrada, e a produção do evento capricha em animação do público.

A apresentação das equipes é um show de luzes e projeção na quadra. Entre pontos tem sempre alguma coisa para fazer: monster block, ace, super spike, etc. Tem sempre muita música igual ao volêi de praia só que no ginásio fechado é muito mais alto.



Assisti no feminino: USA x Italia e Holanda x Porto Rico. O primeiro jogo foi bom, mas as americanas estavam em sintonia e venceram. O segundo jogo foi muito fácil para a Holanda.



No masculino vi Russia x Irã, que só foi interessante pela torcida iraniana que estava empolgada. A equipe do Irã estava mais para um time universitário e foi fácil para a Russia ganhar deles. O outro jogo foi Polonia x Cuba. Cuba veio com um time tão novo que acho que alguns nem terminaram a escola. Eles tem futuro, mas no momento a inexperiência é visível. Os poloneses são muito bons.



O Brasil tropeçou bastante nessa primeira fase, mas conseguiu passar para as quartas de final.



E o ouro do salto com vara? Maravilhoso! E com recorde olímpico! Parabéns Thiago Braz!


14.8.16

Casas Olímpicas

Durante as Olimpiadas alguns países colocam casas pela cidade. Algumas dessas casas são apenas para atletas e suas famílias (e alguns cidadãos daquele país) terem um lugar para se encontrar, outras são para divulgar o país com exposições, comidas típicas, atividades e produtos e outras para negócios e outros interesses.

Visitei algumas e foi assim:


Casa Suíça




Fica na Lagoa e lá eles fizeram uma estrutura muito bacana. Tem muitas atividades para crianças, tem pista de corrida infantil, pista de gelo sintético e tem um globo de neve gigante que você pode ficar dentro.

Tem uma área agradável com um telão com excelente definição e tem uma bar com comida e bebida. A comida é típica (raclette, salsichão, etc), mas a bebida é local (cerveja nacional e caipirinha).

A entrada é grátis e a fila é grande. (E vai ficar para as Paralimpiadas)


Casa França




Eu gostei muito da casa França. É um espaço enorme dentro da Hípica na Lagoa. Tem muitas atividades infantis, tem muitos food trucks bons, tem dois telões e tem uma área grande coberta que deve ter ótimas festas a noite.

A entrada é 20 reias. (para festas a noite pode ser mais)


Casa Hungria




Essa casa fica dentro do Jockey Club na Gávea. A entrada é grátis e é das 15 as 17 e eles limitam o numero de pessoas lá dentro.



A casa da Hungria é muito bonita, tem uma exposição sobre Budapest, cidade candidata as Olimpiadas 2024, tem paineis interativos sobre os atletas hungaros, tem um cubo mágico gigante do lado de fora com vários cubos dentro para tentar resolver, e todos são muito simpáticos. Tem também dois food trucks com comida típica. E tem um Aqua Bar onde você pode provar vários tipos diferentes de água.


Casa Dinamarca




A casa das bicicletas. Fica em Ipanema, é pequena, mas eficiente. Tem uma parte sobre a sustentabilidade dos dinamarqueses e outra que é uma casa Lego para crianças. Do lado de fora tem várias bikes produzidas na dinamarca, uma mais linda que a outra.

Entrada grátis.


Casa Coreia




A casa da Coreia fica aqui no Leme num quiosque. Como PeyongChang vai sediar as Olimpiadas de inverno 2018 o estande é temático. Tem um painel lindo que se movimenta com os esportes das Olimpiadas de inverno. Tem várias coisas realidade virtual 3D e tem prova de comida coreana.

Também é grátis. (e vai ficar para as Paralimpiadas)


Casa Russia




Fica no Clube dos Marimbás do lado do Forte de Copacabana. A vista é linda, os russos escolheram bem. Só abre duas vezes a público com entrada grátis, mas nãos em antes tirarem uma foto sua e de sua identidade.(medinho). Uma foi dia 10 e a próxima é dia 18. Tem matrioskas gigantes lindas, tem exposição sobre os atletas, tem um palco para shows, tem uns russos lá malhando, e tem um bar com comida e bebida.


Casa Alemanha

A casa dos alemães é uma barraca de praia com telão, rede, e muito espaço na areia para sentar e curtir. Tem cerveja alemã da boa e sanduiche com salsichão. Entrada grátis e vem que cabe todo mundo. (vai ficar para as Paralimpiadas)



Casa México

Essa casa é dentro do Museu Histórico Nacional perto da Praça XV. Tem três exposições, uma com cerâmicas sorridentes muito simpáticas, outra sobre a Frida Kahlo para crianças e outra sobre as Olimpiadas na Cidade do México em 1968. Durante as Olimpiadas tinha tenda temática. (Vai ficar nas Paralimpiadas)

museu historico nacional


Casa Brasil

Só fui nessa depois das olimpiadas (e estou fazendo um update nesse post) porque as filas durante eram gigantescas. A Casa do Brasil é ótima! tem dois galpões enormes com muitas redes para deitar e relaxar. No primeiro galpão tem tudo de indústria e agricultura do país, no segundo tem toda parte de turismo e cultural. Tem atividades para crianças e até um filme que dá a sensação de estar nas cataratas de Foz do Iguaçu. Fica até o fim das Paralimpiadas mas acho que essa casa deveria ser permanente.



Casa Austria

A casa dos austriacos fica dentro da sede do Botafogo em frente ao shopping Rio Sul. Achei essa casa sem graça, era só bar com comidas e bebidas e telões para ver jogos. Tem gente que gosta, mas quando fui tinha uma mulher tocando saxofone que parecia lounge fim de noite de cassino em Las Vegas.


A única coisa bacana é que colocaram um paredão de escalada dentro do shopping para crianças, mas para isso não precisa passar pela mulher tocando saxofone.


Casa Britânica




Os britânicos escolheram o bonito Parque Lage para ser sua casa. Teoricamente era aberta ao público mas tinha que se cadastrar preenchendo um formulário online e, dependendo dos seus interesses. talvez você recebesse um convite para visitar. É uma casa mais voltada para negócios. Mas eles deixaram o parque aberto ao público, só a casa que é restrita a convidados.


Casa USA

A casa dos americanos não é aberta ao público, mas o gift shop é. Claro. Na loja tem várias roupas e acessórios da equipe americana. Algumas coisas são da Nike (preço razoável) e outras da Ralph Lauren (caros). Como disse o Nick, eles não deixam de divulgar sua cultura de consumo.


Casa Holanda

A casa Holanda gosta de se vender, dizem que é a mais animada, que tem festas e eu vi alguns snapchats feitos lá que mostraram isso. Fica no Monte Líbano, um clube na fronteira da Lagoa com Leblon, e custa 45 EUROS para entrar. Isso mesmo que você leu: EUROS. Mais de R$150. Por. Pessoa.

E o que eles oferecem? Bem, segundo a moça da entrada, tem um telão onde ficam passando os holandeses, tem um lounge, a noite tem festa e talvez você veja algum atleta passando ali. Além da entrada também tem que pagar para comer e beber lá dentro.

Não entrei. Por 45 EUROS só se o Pieter van den Hoogenband me servisse cerveja pessoalmente.



Casa que não tem mas poderia ter: Tailandia. Com massagistas, óbvio. Aí sim eu pagava os 45 euros.

13.8.16

Boulevard Olímpico

O Boulevard Olímpico é um sucesso.


Essa era uma área da cidade que tinha um viaduto horroroso que, além de esconder boa parte da cidade a beira da Baía de Guanabara, deixava essa parte da cidade horrorosa, suja e abandonada.



As Olimpiadas aceleraram uma obra que já deveria ter sido feita há muito tempo. Derrubaram o elevado, reformaram a Praça Mauá, os galpões do porto, a cidade ganhou um museu novo e também o VLT.

E também ganhou um novo passeio a beira da baía.

Como era uma área da cidade que as pessoas não íam, agora passaram a frequentar com vontade, e espero que continue depois que a Olimpiada acabar.


Hoje estava muito cheio, mas tudo em ordem. A Pira Olimpica é bonita, mas infelizmente está ofuscada por um balão horroroso do patrocinador de cerveja. Os telões são bacanas, tem bastante banheiro, e muitas barraquinhas de bebida.


É uma área rica em arte de rua e o novo painel do Kobra é um presentão para cidade.


Vi o jogo de basquete entre Brasil e Argentina no telão e parecia final de copa do mundo. Uma torcida super interessada, muitos gritos e palmas. E que jogo! Os argentinos levaram a melhor num jogo difícil, tenso, tiveram mais calma no fim.




E o Phelps? Nadou pela última vez em Olimpiadas. E ganhou ouro. Nem sei mais o que posso dizer do Phelps que não já tenha dito. Terei saudades de vê-lo nadando. Sou fã.


11.8.16

Tetracampeão

Que o Michael Phelps é o melhor nadador de todos os tempo ever todo mundo já sabe, e eu acho que ele voltou para essas olimpiadas com muita vontade (e menos pressão).

Ontem ele caiu na piscina para nadar os 200m medley, a prova que ele venceu nas últimas 3 Olimpiadas. Na piscina com ele estava Ryan Lochte, outro americano, recordista mundial da prova e o Vai Tiago, brasileiro com muita torcida.

E o que o Michael Phelps faz? Não só chega em primeiro mas chega com um corpo na frente dos outros. Tetracampeão dos 200m medley. Medalha de ouro número 22.

Lochte e Vai Tiago? Quinto e sétimo. Em segundo foi o japonês e em terceiro o chinês.




Ver isso (mesmo que na tv) é incrível.

Vocês acham que acabou? Phelps ainda nada amanhã os 100m borboleta.


Um parenteses para falar da natação do Japão nessas Olimpiadas. Os japoneses nunca foram expressivos na natação, a não ser pelo Kitajima, nadador de peito que ganhou ouro em Londres. Em 4 anos a natação do Japão cresceu de um jeito que chegaram na Rio 2016 e ganharam várias medalhas.

Os japoneses fizeram em 4 anos o que o Brasil não conseguiu em 12 na natação.

10.8.16

Remo e Volei de Praia

Dia de ir a duas arenas ver os esportes ao vivo.


A Arena do Remo fica na Lagoa, o lugar é lindo. As arquibancadas ficam na área da chegada no fim dos 2km de percurso. Dentro da arena tem um stand com remos de academia mas tem outro que você pode sentir como é remar na água (ali é o remo do Flamengo).

onde os barcos ficam guardados

A arquibancada encheu aos poucos mas ficou lotada. A gente fica assistindo a regata e a maior parte do percurso pelo telão e tem dois narradores dando informação. O narrador brasileiro era bem melhor do que o inglês.


Foi divertido ver chegadas apertadas e boa parte do público torcendo para seus atletas chegarem nas finais (assisti 4 semifinais). Outra coisa bacana da arena do remo é que ali se vê muitos atletas passando de lá pra cá e não só remando.

arena do remo lotada



A Arena do Volei de Praia é do lado de casa, fui a pé.



A estrutura é gigantesca, cabe muita gente. Cheguei na hora de ver Letônia x Cuba masculino, e foi um bom jogo, Cuba ganhou.



A seguir com a arena cheia de gente foi a vez de Larissa e Talita vencerem da americanas Sweat e Fendricks com muitos gritos e palmas.

brasil x USA

Acontece que o torcedor brasileiro é muito seletivo e metade do público foi embora depois do jogo das brasileiras. Uma pena porque os dois jogos a seguir foram ótimos. Holanda venceu da Polonia no masculino e a Alemanha venceu o Canadá no feminino.

Fui na sessão da tarde que começava as 15:30 e nem sofri com o sol. A noite fica muito agradável e os jogos fluem bem melhor do que quando atletas jogam no sol quente.

holanda x polonia

Essa arena é a que mais tem interação com a torcida, as vezes chega a ser cansativo depois de dois jogos. A música insuportável que toca toda vez que a bola cai no chão continua acontecendo e o narrador irrita um pouco, mas devo ser minoria porque as pessoas gostam e se divertem.

com cerveja, claro.
Ainda vou outra vez no volei de praia.