25.12.07

Feliz Natal!!!!
Desejo a todos os amigos e leitores do nosso caderninho um ótimo Natal em um 2008 cheio de conquistas!
Retribuindo o carinho da minha amada Ká , uma homenagem a nós 3.
Beijos.

24.12.07

Feliz Natal

Feliz Natal

Esse ano eu vou comemorar o natal aqui do blog com o Charlie Brown. Para Luizinha e Sue.

Feliz Natal para todos!

22.12.07

Arquitetura

Arquitetura

Do meu amigo Tiago sobre o tamanho do seu apartamento:

"Se eu entrar em casa muito feliz saio direto pela janela."

19.12.07

Comédias na tv

Comédias na tv

Com essa greve dos roteiristas eu acabei colocando em dia outras séries que eu tinha muita vontade de ver. A seguir duas que eu recomendo.


The Office





Foi com atraso, mas eu consegui ver a segunda e a terceira temporada de The Office (e já engatei a quarta), e é uma das séries mais engraçadas dos últimos tempos. Infelizmente ela passa no FX (canal macho-que-é-macho da Fox) que não tem aqui em casa, mas a internet está aí para isso mesmo.

Para quem nunca viu, trata-se do dia a dia de um escritório com um chefe totalmente sem noção. Michael Scott (o ótimo Steve Carrell) é tão sem noção que ele vai do engraçado até o irritante em segundos, mas tem seus momentos bons. Além dele tem: Dwight, o vendedor nerd e puxa saco (Question. Fact.); Jim, vendedor super cool e com as melhores caretas, que faz par com Pam, a recepcionista (aliás um dos casais mais legais da tv); Ryan, o estagiário; Ângela a contadora carola (a Tia Helo ia adorar), Kevin o contador tarado; Oscar, o contador gay (mas só assume na terceira temporada); Stanley, o vendedor sênior; Kelly, atendimento ao cliente que fala demais e Toby, o cara do RH.

Os episódios são filmados em forma de documentário com depoimentos dos personagens a câmera. As brincadeiras de Jim com Dwight são impagáveis.

A série até ganhou uma lista dos top 25 melhores momentos da revista Rolling Stone.

Alguns dos meus favoritos foram:

- Jim pegou o papel timbrado do Dwight e passou um fax para ele como se fosse o Dwight do futuro dizendo que o café daquele dia estava envenenado.

- Dwight dizendo que gostaria que Jack Bauer fosse seu #2, mas ele é fictício, indisponível e overqualified.

- Quando Jim se fantasia de Dwight por 11 dólares. E quando ele se fantasia de papel com 3 furos ao colocar três bolas pretas na camisa branca.

- Jim treinando Dwight a sentir vontade de comer bala quando ouve o barulho do computador. Genial.

- no dia da praia Michael divide o grupo em equipes e a de Dwight se chama Gryffindor e a de Jim, Voldemort, o que deixa Dwight louco, afinal é aquele-que-não-se-deve-mencionar.

- Michael dizendo que Toby por ser do RH trabalha para a matriz e por isso ele não é da família, e por ele ser divorciado ele não faz parte nem da própria família.

-Michael no seu momento na selva.

- o meu momento mulherzinha fica por conta da cumplicidade do Jim e da Pam, que coisa mais gracinha. Pronto, falei. Adorei o Jim.

No FX, terça as 21:30.



30 Rock


Essa é muito divertida, risada certa. :)

É sobre os bastidores da produção de um programa de variedades na tv. Também conta com um chefe sem noção, só que ele é mais malicioso, o presidente da emissora: Jack Donaghy, que é interpretado pelo Alec Baldwin mostrando que sabe tudo de comédia. Tem a Liz Lemon, redatora chefe do programa que se vira para atender as necessidades de seus astros: Tracy Jordan (impagável) e Jenna (que era estrela absoluta antes da chegada de Tracy) e atura as excentricidades de Jack. Ainda tem todo o time de roteiristas do programa, Pete que vira roomate de Liz e o divertido assistente Kenneth.

Eu assisti a primeira temporada com alguns furos, mas já estou recuperando, e a segunda estou acompanhando.

Cada episódio tem pelo menos 4 diálogos que justificam a meia hora, a maioria coisa de nerd, óbvio.

Alguns dos meus momentos preferidos:

- quando a ex-mulher de Jack briga com Liz Lemon por ciúmes.
- Jenna dando em cima do príncipe austríaco doente (por causa dos casamentos consanguíneos).
- a festa de Kenneth, só mostra flashes mas deu para ver que o pessoal do escritório se esbaldou.
- Jerry Seinfeld como ele mesmo lidando com Jack.
- o Ross de Friends fazendo um insuportável mascote ecológico, e esse episódio ainda teve Al Gore.
- Liz Lemon fingindo ser do AA para conquistar o paquera.
- Liz descobrindo que o seu paquera bonitão é seu primo.

Essa passa na Sony toda terça as 20:00







P.S. Eu vi o trailer da 4a temporada de Lost aqui e mal posso esperar 31 de janeiro para ver o Sawyer em ação.

16.12.07

+ Filmes

+ Filmes

A vida dos outros

Esse filme ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro ano passado. Eu tinha achado uma injustiça com o Labirinto do Fauno, mas agora que eu vi esse, achei justíssimo.

A história se passa na Alemanha Oriental no começo da década de 80. Nessa época as pessoas ou eram investigadas pelo governo, ou eram delatores. O capitão Wiesler é um mestre na arte de entrevistar suspeitos, e é dado a ele a função de investigar a vida de Christa-Marie e Georg, uma atriz e um autor que vivem juntos. Acontece que Christa é amante (meio a contra gosto) do ministro da cultura, e este quer decobrir alguma coisa contra Georg para prende-lo e assim se livrar da concorrência.

Georg é um autor patriótico, para ele a vida com mordomias na Alemanha Oriental era boa. Mas seus amigos começam a ser perseguidos e ele se vê numa encruzilhada.

O capitão Wiesler leva uma vida oposta a de Georg. Ele mora num apartamento genérico, só tem sexo se pagar (e ainda divide a prostituta com os vizinhos), ou seja, ele não vive. Por isso ao escutar as conversar de Georg ele passa a viver através do casal. Mas é tudo muito contido.

Ele se torna o anjo da guarda de Georg, mas não consegue salvar Christa do seu final digno de Nelson Rodrigues.

A tia Helo não ia gostar nada desse negócio de ficar bisbilhotando vida alheia, ainda mais artistas e comunistas. 214 “Ai, Jesus!” para a vida dos outros.


Beowulf

Beowulf é um antigo poema inglês e primo mais velho do Senhor dos Anéis.

No filme Beowulf (viking macho-que-é-macho) chega a um reino na Dinamarca (parece até coisa de Shakespeare) para ajudar a dar um fim no demônio Grendel que sofre do mal de escutar bem demais e não suporta o barulho das festinhas organizadas pelo rei.

Beowulf enfrenta o bicho e consegue derrota-lo, mas esqueceram de avisar que Grendel tinha mãe. E essa mãe é uma bruxa poderosa que seduz os homens oferecendo reinados e vitórias em batalhas. O Beowulf cai nessa.

Esse filme é todo feito na técnica de cobrir gente com efeitos digitais. E fica muito bom, ainda mais nas partes de muita fantasia. O dragão é ótimo!

A Tia Helo não gostava nada dessas coisas fantasiosas, e não ia gostar nada quando o Beowulf do filme disse que “O tempo dos heróis morreu, o deus cristo o matou deixando nada além de mártires se lamentando, medo e vergonha”. A lenda nórdica leva 317 “Ai,Jesus!”

Mas a melhor definição de Beowulf eu li no Uma dama não comenta: Ogro deficiente auditivo é morto pelo tataravô do Jack Bauer. Hahahahaha!


Conduta de Risco

Esse título parece filme do Steven Segal, mas felizmente é com o George Clooney.

Clooney (macho-que-é-macho de carteirinha) faz o advogado Michael Clayton, que trabalha numa grande firma que está perto de concluir um caso importante. Acontece que o principal advogado do caso tem uma crise de consciência (além de ter deixado de tomar seus remedinhos) e resolve mudar de lado e ajudar quem está processando a grande empresa que ele defendia.

É aí que entra Michael Clayton o resolve-tudo da firma. A função dele é buscar o tal advogado e fazer com que ele volte a si. Mas essa tarefa não é tão fácil assim. Além de tudo Michael tem problemas com agiotas e está devendo uma grana.

É um filme com diálogos certeiros e muitas intrigas.

Eu gostei muito, ainda mais no fim que somos premiados com quase 10 minutos de George olhando para a tela.

Talvez a Tia Helo gostasse desse filme. Do George Clooney ela ia gostar muito, ainda mais com aqueles cabelos grisalhos e o ar preocupado. 47 “Ai, Jesus!” para Michael Clayton.

13.12.07

The Police by Sue

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



Nem dá para explicar... tente imaginar a alegria da Tia Elô na Missa Campal do Papa no Aterro do Flamengo, subtraia as beatas acotovelando você, acrescente um equipamento de som MUITO melhor, mantenha o coro de anjos que eu tenho certeza que a tia estava escutando em vez do Papa, e voilá! Basta colocar três loiros PODEROSOS no palco (com licença, Santidade!) e você tem o show do Police. Infelizmente não foi no Aterro do Flamengo, o que tiraria alguns traumas meus a respeito do local, mas o Maracanâ estava tão bonito que não tem importância, eu pago a analista mesmo.

Bonito? Imagine que você está no gramado do Maracanã (já dá um frio na barriga só de pensar), de repente cisma de olhar para trás e vê uma massa de gente toda colorida de uma suave luz lilás, mexendo ao som e "Wrapped Around Your Finger"... 500 Ai Jesus só para este momento!

Quando ELES apareceram na canção do Sting, mais 400 Ai Jesus só pela alegria da Tia Elô. Ela deve ter se sentido vingada, lá do Paraíso, deve ter falado: "Tá vendo? Não sou só eu que escuto não! Aquele menino loirinho também... Pena que não é o Elton John!"

Enfim, todos os momentos tiveram seu toque de Ai Jesus!, mas quando o Sting começou com "Every Breath You Take" e a galera toda foi junto, aí foram uns 1000 Ai Jesus! Quase tirei a Kaká para dançar, mas ela já estava dançando lá em cima com o Globocóptero...

Quem foi sabe exatamente do que eu estou falando; quem não foi, só lamento; quem foi aos DOIS shows... ai que inveja! (apesar de que já me disseram que fomos ao melhor disparado).

Aí, depois de subir às estrelas, é descer e tomar um analgésico para aguentar os protestos do corpo... essa idade do condor!

11.12.07

The Police by Luizinha

The Police by Luizinha


Assinando em baixo de tudo o que a Ká escreveu, só vou dar uma complementada.
Cara, foi um dos melhores shows dos últimos tempos. Sem firula, sem megas back n vocals para ajudar os velhotes a chegar até o final do show...como sempre acontece com o Mick Jagger( eu adoro ele, mas a agenda de badalações deles no Brasil é tão grande , que só botando gente para cantar junto).

Palco maravilhoso com 3 músicos maravilhosos...fazendo o que eles mais amam. Nada mais emocionante para mim como produtora ver aqueles instrumentos cheios de marcas..arranhões. Estas marcas mostram a história de seu dono, por cada ensaio que aquele instrumento passou, por cada palco que ele passou. O show fez isso com a gente, trouxe a nossas melhores lembranças à tona . Muito bom estar no Maraca com a Ká e a Sue ouvindo o Sting ao Vivo...Morram de inveja paulistas hehehehe....foi mais forte do que eu.

Agora vamos a algumas pérolas do show.

A frase que mais me marcou durante a execução de Every Breath You Take dita por alguém com menos de 25 anos:
"Essa música é deles?"

E as frases mais faladas pela galera com mais de 30 anos ( tô sendo boazinha rssss): "ai meu joelho"...."ai minha coluna"..."meu pé está queimando"..."tô doida por um banho e cama" hahahahaha.

Galera é mais ou menos isso, o The Police representou coisas muito boas de algumas gerações.
Ká você nem pousou e eu já estou troncha de saudades!!!!!!!
Beijos!!!!!!!!

9.12.07

The Police

The Police




(eu e luizinha no show ontem. foto do celular)

Em 1982 eu lembro de estar na casa da Luizinha quando o irmão dela saiu para o show do The Police no Maracanãzinho e nós ficamos em casa por sermos muito novas, argh!

Eu posso até dizer que o Police me salvou do Menudo, a febre das adolescentes da minha época. Como gostar de uma boy band brega daquelas depois de já ser fã dos ingleses? E vamos combinar que o Sting envelheceu muito bem.

E foi o album Synchronicity que me deixou curiosa sobre Jung, mas quem se formou em psicologia foi a Luizinha.

Por isso tudo, é ÓBVIO que eu, Luizinha e a Sue (que já temos idade suficiente para ir num show) estavamos no Maracanã ontem a noite. E foi um show do ca.....!

Para começar foi muito organizado e como bons britânicos começaram pontualmente as 21:30. E foi logo com Message In A Bottle. Depois veio o melhor jogo de luzes nos telões que eu já vi com Synchronicity II. Não vou lembrar a ordem a seguir, mas tocaram quase tudo, inclusive a música da Tia Helo - Voices Inside My Head, o hino dos PPCs (possessivo, passional e ciumento) - Every Breath You Take, e a minha personal favorite - Every Little Thing She Does is Magic. Fizeram um arranjo muito bom para Can't Stand Losing You.

Sting, sarado, falou português, tocou um baixo que parecia ser o mesmo de 1982, Andy Summers arrasou na guitarra e Stewart Copeland é, para mim, o melhor-baterista-de-todos-os-tempos-ever. No fundo do palco tinham 3 telões que mostravam os três o tempo inteiro.

Eu só senti falta de duas músicas, Spirits In The Material World e Synchronicity I.

Momento comédia pré-show. Estavamos andando para o estádio quando no meio da rua a Sue avistou uma barraquinha no meio da rua e...

Sue: Ué, porque que esse cara tá vendendo cofrinho de porquinho de barro na porta do show do The Police?
Kaká: porquinho? onde?
Sue: Ali, olha.
Kaká: Sue, aquilo não é porquinho, é abacaxi. hahahahahhahahaha!

Bom demais!!!


Ah, o show dos Paralamas também foi muito bom! :)

5.12.07

Povsky e Gorovsky in USA

Povsky e Gorovsky in USA

Meus primos estão naquele programa de trabalhar nos EUA por 3 meses nas férias da faculdade. Eles foram para Lake Tahoe trabalhar num cassino, ou ski lodge, ou coisa parecida. Acontece que eles só estiveram nso EUA em 98 comigo nos parques da Disney, e dessa vez foram para se virar.

Já recebi notícias dos primeiros acontecimentos.

Ao chegar no aeroporto de Reno (a Las Vegas depois do frio, da fome e da peste), que fica uns 100km de onde eles vão morar e trabalhar, decobriram que não tinha mais ônibus para a tal cidadezinha. Eles negociaram com um taxista de Bangladesh (que pelo jeito falava menos inglês que eles) a ida. Ao chegarem na porta do motel (é isso mesmo, eles vão morar num quarto de motel que era a coisa mais accessível que acharam) este estava fechado e só ia abrir as 9 da manhã.

Os dois ficaram no meio da rua num frio que nunca sentiram antes na vida, batendo queixo até que a entregadora de jornal, que era romena, apareceu. Ela viu o perrengue e deu carona a eles até o cassino mais próximo onde eles alugaram um quarto e finalmente descansaram e tomaram banho.

Ah! Parece que a romena ofereceu 10 dólares a eles, mas os motivos dessa oferta ainda não foram esclarecidos. ;)

Aguardem os capítulos seguintes.

3.12.07

Conversas iPodianas (6)

Conversas iPodianas (6)

O assunto do shuffle hoje era digno do Pinel.

Começou com os Ramones pedindo : 24 hours to go I wanna be sedated...

Aí o Green Day entrou com Basket Case: Do you have the time, to listen to me whine, about nothing and everything all at once......am I just paranoid or am I stoned?

Pink Floyd quase cortou os pulsos com Comfortably Numb.

E Gnarls Barkley fechou a sequencia com Crazy.

29.11.07

+ Filmes

+ Filmes

O assassinato de Jesse James pelo covarde Robert Ford

O título do filme diz tudo e não diz nada. É daquelas histórias que a gente sabe como termina, mas passa o filme inteiro achando que vai mudar.

Jesse James era um bandido, ok, ele foi fazendeiro e lutou na guerra civil americana, mas depois virou bandido mesmo. Roubou e matou. Acontece que ele era um popstar do velho oeste. E como celebridade o coitado que o matou se tornou um covarde (mesmo que Jesse o tenha aterrorizado até o último fio de cabelo).

Como todo popstar que se preze Jesse James tinha presença, e isso é dito logo no início do filme. Ele andava pelas cidades sem ser reconhecido (afinal, não existiam paparazzi na época), mas era reverenciado pelos bandidos groupies.

Brad Pitt faz Jesse James, e o faz muito bem. Brad Pitt é um homem bonito e macho-que-é-macho como o bandido devia ser.

O filme começa com o último assalto a um trem. Os irmãos James juntaram um bando novo já que o antigo tinha sido quase todo morto. Nesse novo bando estavam os irmãos Ford: Charlie, o bobo, e Bob, o wannabe e groupie. Bob (vivido pelo irmão do Ben Affleck, Casey, que por sinal está muito bem) tenta de todo jeito se mostrar e Jesse até gosta dele, mas depois muda de idéia.

O filme passa, Jesse, meio paranóico, vai matando um a um os homens do bando até chegar aos irmãos Ford. Aí o título já diz o que acontece.

A situação do Bob não era das melhores, ou ele matava ou era morto, mas ele atirou pelas costas e isso fez dele um covarde, mesmo matando um bandido. Jesse James teve seu corpo exposto para multidões verem e em sua lápide está escrito “In Loving Memory of my Beloved Son, Murdered by a Traitor and Coward Whose Name is not Worthy to Appear Here.” Bob Ford se deu mal.

O filme é lento, mas a fotografia é linda.

Tia Helo provavelmente não gostava de bang bang (e nem tem muito bang nesse filme), e também não ia aprovar as ações de Jesse, mesmo sendo Brad Pitt, e mesmo ele indo a igreja com a família. 110 “Ai, Jesus!” para Jesse James e Robert Ford.


Viagem a Darjeeling

Eu adoro os filmes do Wes Anderson. É dele um dos meus favoritos: Os Excêntricos Tenenbaums. Os filmes dele são sempre coloridos, melancólicos, atemporais, personagens únicos e com ótima trilha sonora.

E esse não foge a regra. Owen Wilson, Adrien Brody e Jason Schwartzman fazem três irmãos: Francis, Peter e Jack que vão a Índia para uma viagem espiritual e em busca da mãe. O pai deles morreu e eles herdaram um conjunto de malas (Louis Vitton no detalhe) que eles carregam o tempo todo.

É um filme sobre o amor fraterno. Claro que eles não se entendem, brigam, e no fim tudo dá certo. Francis tem problemas de controle, Peter vai ser pai e Jack tem o coração partido.

Eu não tenho vontade de conhecer a Índia, mas adoro aquelas roupas coloridas.

A Tia Helo sabe tudo de amor fraterno, ela tinha muitos irmãos. Ela não gostaria de ver aquela pobreza da Índia, mas acharia digno a cena do enterro do garoto e gostaria da mãe deles que virou freira (freira alternativa, mas freira). 95 “Ai, Jesus!” para os irmãos Whitman.


Café da manhã em Plutão

Esse eu vi em dvd.

Patrick é um garoto que quer muito ser mulher. Adora se vestir de mulher, falar como mulher e agir como uma lady. Ele foi abandonado pela mãe na porta da igreja e o padre o deu para uma família criar. Patrick, também conhecido com Kitty, não teve uma vida fácil mas o filme é contado de uma forma em que tudo, até uma bomba do IRA, parece fantasia.

Patrick quer se divertir, não quer saber de coisas sérias, mas as coisas sérias o perseguem. Depois de ver um de seus amigos explodir num atentado ele resolve ir para Londres atrás da mãe. Lá ele/ela faz todo tipo de trabalho, e vai até parar na delegacia acusado de bombardear uma boate. Mas para Kitty está tudo bem, ela é cativante e o policial a ajuda.

Cillian Murphy faz Patrick/Kitty com uma delicadeza impressionante, e esse é um filme que emociona várias vezes. A trilha sonora seventies é excelente.

A Tia Helo não ia gostar nada dessa história do padre ser pai do travesti, mas talvez ela gostasse do tom fantasioso do filme. 215 "Ai, Jesus!" para Kitty.


As cartas de Iwo Jima

Peço desculpas a Clint Eastwood por não ter visto esse filme no cinema. Clint domina tão bem a arte cinematográfica que ele dirige, escreve, compõe, faz tudo, se bobear ele é até o contra-regra. Ele dirigiu esse filme todo falado em japonês.

Clint fez dois filmes contando os dois lados da mesma batalha na segunda guerra. O do lado americano (A conquista da honra) é bom, mas o japonês é melhor.

A vida inteira nós vemos como os americanos, ingleses, alemães, russos, etc, fazem guerra, mas eu ainda não tinha visto um filme que mostrava a disciplina e tática oriental na hora de guerrear. E mesmo com aquela lingua que parece cortar uma cabeça a cada palavra, dava para perceber a emoção dos olhos puxados.

A história é centrada no General Kuribayashi, militar que estudou em Havard e chega cheio de idéias a ilha, e no soldado Saigo, padeiro que foi convocado a lutar pelo país.

Eu gostei.

A Tia Helo não ia gostar nada. Muita gente morrendo, muito suicídio, e aquelas coisas de guerra. Os japas ia escutar 315 "Ai, Jesus!" em Iwo Jima.

15.11.07

Apóstrofo?

Apóstrofo?

Recebi essa por e-mail:


A Tia Helo, como professora de português e católica, ia dizer mais de mil "Ai, Jesus!" para a criança/adolescente que escreveu isso.

A interrogação vermelha ia ser pouco para ela.

Será que o Michelangelo usou todos os megapixels da sua digital para registrar a "jantinha"? Leonardo daVinci vai morrer de inveja.

11.11.07

B.A. (2)

B.A. (2)

Ainda em Buenos Aires.

O centro da cidade aqui parece o do Rio. Andamos pela gigantesca 9 de Julho e depois fomos até a Casa Rosada (que tem cor de salmao). Visto e fotografado, fomos até a famosa Calle Florida, que eu achei um Saara com lojas boas mas muita gente, muita mesmo, andando pra lá e pra cá.

Uma observaçao (momento engenheira de tráfego). As ruas aqui sao compridas e largas. As vezes elas passam por 3 bairros, ou mais. Raramente elas tem duas direçoes. As avenidas sao gigantescas, quase todas com mais de 4 faixas e cortam toda cidade. Mas isso nao quer dizer que o trânsito seja bom, nada disso, tem muito engarrafamento sim.

Fugindo do clima claustrofóbico da Florida fomos ao Puerto Madero, que é uma área revitalizada da cidade com muitos bares e restaurantes. O lugar é legal. A noite vimos aquela exposiçao Bodies (dos corpos dissecados) que está no shopping aqui perto e fomos ao cinema ver El Sospechoso (Rendition) novo filme do Jake Gyllenhaal.

No outro dia fomos ao tal Caminito no bairro La Boca. Sao aquelas casas coloridas que aparecem em 10 de 10 fotos de Buenos Aires. É bem turístico e bonitinho. Nao, nao fomos a Bombonera. Depois esticamos no Jardim Japones, lindo.

No sábado o grande barato dos argentinos da cidade (e dos milhares de brasileiros visitando) é gastar dinheiro nas ruas fashion do Palermo Soho. Estavamos lá, obviamente. E começou a fazer frio...primavera de 12ºC.

Hoje, domingo, é o dia da famosa Feira de San Telmo. É uma rua comprida com muitos antiquarios e uma praça com barracas vendendo mais peças antigas. Aqui se acha absolutamente t-u-d-o do tempo da Tia Helo e de muito antes. Mas tem muitas lojas com arte moderna e local. Na praça vi muitas pessoas fantasiadas cantando e dançando e, claro, dançarinos de tango. Na rua tem vários grupos de jovens tocando tango e outros artistas de rua. A Beth adorou e é um programa muito bom mesmo. O almoço foi num restaurante de comida francesa, clima de cantina italiana, mas argentino na essência.

Amanha tem compras e na terça estarei no Rio, de preferência com calor . Luizinha prepara o bife a milanesa que eu tô chegando!!

Fotos de Buneos Aires no flickr.

7.11.07

B.A.

B.A.

Aqui estou em Buenos Aires, terra da Evita, do Maradona, do Riquielme, do tango, Gardel, Piazzola e do mullet.

Sério, eu queria saber porque o mullet ainda faz sucesso na cabeça dos argentinos. Ai, caramba hombre!

Traumas a parte, a cidade é legal. Metrópole latino americana com cara de Europa. Os portenhos tem o life style dos espanhóis (vida noturna), os jardins e metro dos ingleses, os cachorros dos fanceses (deve ter um cao por habitante) e a arrogancia italiana. Nao é a toa que eles se acham europeus.

Por enquanto só fomos jantar em Palermo Viejo (bairro moderninho), e hoje fomos ao Malba (museu de arte latino americana) e ao Museu Nacional. Também passeamos pela Ricoleta, o bairro das lojas chiques e dos ricos da cidade. Só entrei na primeira fileira do famoso cemitério saí e fui ver gente viva, sinceramente eu nao vejo a graça de visitar cemitérios (o único me agrada é o de Arlington em Washington DC).

A comida aqui é muito boa e barata. E eu que adoro uma bakery....aqui tem cada doce maravilhoso. E o sorvete?¿?¿?¿? Delícia. Muitos quilos a mais na balança.

Nao é só a comida que é barata, a cidade está cheia de brasileiros fazendo compras.

Só fiquei triste porque eu nao sabia que ia ter uma corrida de 10km da Nike no domingo, e as inscriçoes já acabaram. Droga. :(

Por enquanto é isso.

3.11.07

Mapas e fotos

Mapas e fotos

Tive uma das minhas fotos de Liverpool escolhidas para ilustrar esse site de guia de viagens.



É só clicar em photos que dá para ver todas, creditadas. :)

E clicando no map dá para ver a localização dos lugares.

Eles escolhem as fotos no Flickr e perguntam se você quer submeter a sua foto para o site deles. Não pagam nada, mas é muito legal. Reconhecimento internacional.

29.10.07

Séries na tv e em outros meios

Séries na tv e em outros meios

Enquanto as séries novas não estréiam na tv e Lost não volta (só em fevereiro....ai que saudade do Sawyer) vou contar o que eu ando vendo ultimamente na tv, no mundo da internet e em dvd.

Com possíveis spoilers.

Californication: começa em novembro na Warner, eu só ia assistir o primeiro, mas gostei e segui adiante. Nessa série David Duchovny faz Hank Moody, um escritor que está numa fase sem inspiração para escrever um novo livro. Ele ainda é apaixonado pela ex-namorada com quem tem uma filha. No núcleo de amizades ainda tem o agente, a esposa do agente, o noivo da ex-namorada e a filha safada do noivo.Nos primeiros episódios a sacanagem rola solta (desculpa Tia Helo), mas depois a coisa equilibra. David Duchovny está tão bem que eu nem lembro que ele um dia foi o ótimo agente Mulder. Recomendo.

Pushing Daisies: Adorei essa série! Ela é fantasiosa, colorida e fofa, é como “O Fabuloso Destino de Amelie Poulin”. È diversão garantida e sorriso no final. A história é sobre Ned que quando criança descobre que tem o poder de trazer os mortos de volta a vida com um toque. Só que esse poder vem com regras: 1) se a pessoa/animal/inseto que ele tocar ficar vivo por mais de um minuto outro ser morre em seu lugar e 2) se o ser que ele reanimou o tocar pela segunda vez morre sem chance de volta. Ele se torna um fazedor de tortas e trabalha com um caçador de recompensas perguntando aos mortos assassinados quem eram os culpados. Acontece que no primeiro episódio quem morre é o amor de infância de Ned, Chuck (sua vizinha), e quando ele a reanima um minuto passa e ele não a toca a segunda vez, claro que morre outro no lugar dela, ela fica vive e vai ajudar Ned. O clima romântico entre os dois que não podem se tocar é lindo. Deve passar aqui ano que vem.

Dexter: meu serial killer favorito. Na segunda temporada Dexter, que tinha tanta certeza de sua frieza, depois de descobrir sua história e dar um fim no irmão assassino começa a viver um conflito. E ainda por cima descobrem os corpos que ele deixava no fundo do mar. No gênero policial é a minha série favorita. A abertura é fantástica. Passa na Fox, dublado, argh!

Friday Night Lights: a primeira temporada está terminando na Sony e já, já vão passar a segunda. Ótimo. Tim Riggins continua me dando vontade de ter 17 anos, e no primeiro episódio da segunda temporada ele está totalmente bad boy, delícia. Drama teen de primeira.

Heroes: a segunda temporada voltou com gente demais. Tem uns irmãos cucarachos que vazam petróleo pelos olhos e matam gente, o Hiro chato foi parar no Japão feudal com um inglês engraçado, o Peter está com amnésia na Irlanda, o Sylar foi parar na ilha de Lost e não consegue assimilar mais poderes, a Cheerleader chata arrumou um namorado que voa, Parkman se casou com o Mohinder e criam a menina google, Nathan está no fundo do poço, estão matando os heroes da primeira geração... Sorry, ficou chata. Quase desistindo.

My Name is Earl: adoro! Earl foi parar na prisão para que sua ex-esposa Joy não fosse presa grávida e com os filhos para cuidar. Ele continua se acertando com o karma e a trilha sonora continua das melhores. O melhor episódio dessa terceira temporada até agora foi Creative Writing, a música do Darnell merece um Grammy. Passa no FX.

The Tudors: é sobre o Henrique VIII, rei inglês que deixou a igreja católica para criar a anglicana e assim poder se divorciar de sua primeira mulher e casar com Ana Bolena (e depois mais 4 mulheres). A série deturpa totalmente a história (não vale para fazer prova na escola), mas o rei é sarado e bonitão, as intrigas são de primeira e o melhor amigo do rei, Charles, vale cada minuto da série. People &Arts domingo as 23.

Brothers & Sisters e Grey’s Anatomy: dois novelões, dos bons. B&S é legal, como eu não entendo o amor fraterno fico perdida naquele meio de 5 irmãos que só fazem fofocar. É o tipo de série que dá pra perder os capítulos sem medo que no previously entende-se tudo. Grey’s voltou melhor, a Meredith continua chata, McDreamy está quase buddy-buddy com o McSteamy (que é a melhor coisa até agora), e o casal Izzie-George por mim pode explodir, mas a Christina está divertida. B&S no Universal, quartas as 23. Grey’s novo só ano que vem.

Damages: ótima! Parece que essa não vai passar aqui. Glenn Close faz a advogada mais cobra de todos os tempos numa trama cheia de reviravoltas e veneno. Ninguém vai comprar? Nem lançar o dvd?

CSI NY: eu sempre fui fã do Grissom, mas ultimamente eu tenho preferido o Mac Taylor (Gary Sinise) e o pessoal de New York. O Horatio é péssimo, deviam implodir a filial de Miami. No AXN.

Numbers: eu não tenho o Telecine, mas vi os dvds da primeira temporada e adorei. Me fez lembrar que matemática é muito legal. É sobre dois irmãos, um policial do FBI e outro matemático que ajuda nas investigações usando os números e fórmulas. Devia ser mostrada nas escolas.

É com vergonha que eu ainda vejo Smallville. Mas estou no limite. Ou o Clark Kent vira logo o Superman ou sai de cima né?

Studio 60 está acabando. Faltam 2 episódios e foi legal.

Tentei ver Jericho, não dá, é ruim demais.

Por hoje é só.

21.10.07

Domingo esportivo

Domingo esportivo

Na última prova da F1 esse ano, em SP, o finlandês Kimi Raikkonen foi campeão da prova e mundial. Felipe Massa foi buddy-buddy e o deixou passar para fazer os pontos necessários. O olho gordo do Galvão Bueno foi tão grande que Lewis Hamilton errou nas primeiras voltas, quebrou alguma coisa no carro, foi para o fim da fila e chegou em sétimo, mas foi vice no mundial no ano de estréia, ele é um fenômeno. O cabeção do Alonso chegou em terceiro. Agora só em 2008.

Lá na Espanha a final do master series foi entre, tchan, tchan, tchan, tchan..... Roger Federer (alguém duvidava) e David Nalbandian. Federer não ganhou. O argentino segurou as pontas depois de um 6x1 e se recuperou no segundo set e no tie break. Pois é Federer, não dá para ganhar todas né?

O Flamengo, depois de passar o ano inteiro fugindo do rebaixamento, finalmente chegou nos top 8 do brasileirão.

20.10.07

Idi o que??

Idi o que??

O Nick já mora aqui no Brasil há mais de 25 anos. Como todo nativo da língua inglesa ele tem dificuldade com o feminino/masculino, ele nunca acerta um "o" ou "a". Para ele é sempre "o casa", "a carro", "o menina", etc.

Claro que já explicamos muitas vezes que basicamente se tem "a" é tudo com "a" (a casa bonita) e a mesma coisa com o "o", mas não tem jeito, ele sempre confunde.

Ontem ele resolveu que ia acertar e veio com essa: Fulano é um idioto.

De todas as palavras que têm variação feminino/masculino ele escolheu justo uma que não tem.

A Tia Helo não ia ficar nem um pouco feliz com esses erros. Mas não tem problema não Nick, nós entendemos tudo!

16.10.07

Conversas iPodianas (5)

Conversas iPodianas (5)

Hoje o modo shuffle estava num momento sombrio e tocou a sequência:

Devil's Haircut - Beck
Devil Inside - INXS
Sympathy For The Devil - The Rolling Stones
Heaven's Dead - Audioslave
The Queen is Dead - The Smiths
World Wide Suicide - Pearl Jam

Ai, que medo.

12.10.07

Book Report

Book Report

Quando estive no norte da Inglaterra, em Yorkshire, a mãe do Nick me deu Wuthering Heights (O morro dos ventos uivantes) para ler. Clássico inglês que se passa nessa região. O livro foi escrito por uma das irmãs Brontë, Emily, e é leitura obrigatória nas escolas (beeeem melhor que José de Alencar). As irmãs Brontë passaram a vida inteira olhando para aquele verdinho cheio de ovelhas, solteiras na casa no fundo da igreja onde o pai era pastor. A imaginação delas era muito boa.

O que esse livro tem de interessante é que a história é narrada por dois personagens em tom de fofoca, fofoca estilo literário é claro. As pessoas que contam a história estão presentes em todos os fatos ocorridos. Eu só não gostei dos diálogos, muito dramáticos, mas vai ver o pessoal falava mesmo daquele jeito.

A história toda se passa entre duas propriedades vizinhas em Yorkshire: Thrushcross Grange e Wuthering Heights, que ficavam 8km uma da outra.

No começo do livro o Sr. Lockwood nos conta como vai até Wuthering Heights para falar com o dono da casa que alugou (Grange) e os eventos que acontecem na sua estadia de uma noite. Ele conhece o dono Heathcliff, sua nora Catherine e Hareton. Depois de uma noite conturbada ele volta para casa e pede a Ellen Dean (ou Nelly), que foi empregada em ambas as casas, para contar o que aconteceu nos últimos 20 anos.

O Sr. Earnshaw, dono original de Wutehring Heights, chega de uma viagem a Liverpool trazendo um garoto abandonado e lhe dá o nome de Heathcliff. O filho mais velho do Sr. Earnshaw, Hinley, não gosta do menino, mas a filha Catherine, ou Cathy, fica logo amiga. E os dois são melhores amigos. Hindley vai estudar fora, só volta para o enterro do pai, e aproveita para acabar com a mordomia do Heathcliff, fazendo dele mais um empregado. Só que Cathy continua amiga dele.

Um dia eles vão passear na propriedade vizinha e são pegos. Cathy fica com os filhos do dono e Heathcliff é mandado de volta. Ela fica lá 3 meses e volta uma lady, além de cortejada por Edgar, o garoto vizinho. Hetahcliff morre de ciúmes. Cathy conta a Nelly que ama Heathcliff (“he is more myself than I am”), mas não podia ficar com ele e ia se casar com Edgar. Heathcliff escuta essa conversa e vai embora.

Os anos se passam, Cathy casa com Edgar e vai morar em Grange. Nelly vai junto. Em WH ficam Hindley e seu filho Hareton. Hindley se torna um bêbado falido depois da morte da esposa.

Um dia Heathcliff volta rico e bonitão. Vai até Cathy e diz que a quer. Mas ela quer ser amiga de Heathcliff e ainda ficar casada com Edgar que lhe dá posição. Ela é chata, quer tudo, e é mimada. Heathcliff e Edgar tem uma briga e Cathy fica doente (com febre e tudo) só de pensar que não pode ficar com os dois. Heathcliff decide conquistar Isabella (irmã do Edgar) e se casa com ela e a maltrata.

Cathy não se recupera e morre ao dar a luz a sua filha Catherine. Isabella foge de WH e vai morar no sul onde tem Linton, filho de Heathcliff.

Os anos passam e Isabella morre e Linton vai morar com o pai. Acontece que Linton é um garoto mimado, chato e doente. E Heathcliff o despreza, mas faz com que Catherine venha visitar o primo. Catherine adora Linton e não gosta de Hareton, o outro primo, que passou a ser empregado de Heathcliff (e com enorme respeito pelo mestre).

O plano de Heathcliff era casar Catherine com Linton para ser dono das duas propriedades. E conseguiu, pressionando todos. Linton morre e logo depois o Sr. Lockwood chega à região.

(pra quem não entendeu: Catherine é filha de Cathy com Edgar. Linton é filho de Heathcliff com Isabella que é irmã de Edgar. Hareton é filho de Hindley, irmão de Cathy. Então Catherine é prima de Linton e de Hareton, e nora de Heathcliff. Eles tinham pouca opção na época)

No fim Heathcliff só pede a Nelly que não deixe Catherine e Hareton (que acabam se apaixonando) por perto, ele não gosta de Catherine por ser filha de sua amada com Edgar. Ele morre e é enterrado ao lado de Cathy com apenas “Heathcliff” na pedra do túmulo.

Eu só tinha assistido aos filmes e Heathcliff é sempre vilão, grosseiro, rude. E acho que essa era a intenção de Emily Brontë. Mas eu o vejo de outra forma. Ele era um homem apaixonado. Tão apaixonado que culpava a todos por ter sido separado da mimada Cathy, e quis se vingar.

Vingou-se de Hindley comprando suas dívidas e tratando Hareton como empregado. De Edgar ele roubou a filha e ficou com a propriedade. De Isabella ele disse logo que não a respeitava porque ela foi atrás dele sabendo que ele amava Cathy. E Isabella lhe deu um filho mimado e doente no qual ele não se via. De Catherine ele se vingou tirando a mordomia a qual estava acostumada na casa de seu pai.

Ele maltratou, bateu e xingou, mas ele amou. Ele amou o Sr. Earnshaw por ter lhe acolhido como família, amou Cathy até o último suspiro e amava Hareton como filho. Heathcliff era macho-que-é-macho dos ventos uivantes.

As mulheres da época tinham poucas opções, ou nenhuma, além do casamento, eram criadas para ficar lendo e passeando pelos campos, mas Emily Bronte poderia ter criado heroínas mais interessantes. A Cathy mãe era insuportável de mimada. Chegou ao ponto de ficar doente porque não teve o que queria. A Catherine filha também era chatinha e preconceituosa. Só foi gostar do Hareton (que era um doce e bonitão) porque no fim faltou opção, já que ela babava o primo doentinho até quando era escarrada por ele. (ok, exagerei, já que Hareton a conquistou quando aprendeu a ler sozinho).

Nelly, que conta a maior parte da história, não gosta de Heathcliff, mas consegue ver o homem apaixonado nele e até nos deixa saber que ele não é tão mau assim, mesmo dizendo o tempo todo que ele é o diabo em pessoa.

Aqui tem um vídeo com a música ‘Wuthering Heights” na voz estridente de Kate Bush e cenas do filme com Ralph Fiennes e Juliete Binoche. O filme é uma droga, ruim mesmo, mas o livro é muito bom.

7.10.07

Aquamarine


Aquamarine:


Como prometido a Ká estou aqui de novo... ontem quando estava de bobeira me arrumando para sair com 1 amigaço de infância (amigo este que a tia Helo deu aula de catecismo num passado longíquo), me deparo de preguiça no meu quarto com o controle remoto na mão "zapeando". Diga-se de passagem, "zapear" é uma função exclusiva da Ká. Ela é a única pessoa que eu conheço que consegue ver uns 3 programas de TV ao mesmo tempo e saber o que está acontecendo em cada um deles.Isso com uma TV tradicional e não aquela moderninha que põe vários programas em quadradinhos em exibições.


Enfim, estava eu com o controle na mão e me deparei com um filme bonitinho chamado Aquamarine. Tive curiosidade de dar uma olhadinha pois este filme foi inspirado em outro filme de sereia , o Splash que fez parte da cultura da minha geração.Nesta época quem era a sereia era a Daryl Hannah, que logo depois do filme virou a sra. John John Kennedy. Enfim, a vovó da Aquamarine virou ícone por causa da vida pessoal namorando o solteiro mais disputado do planeta. E como todos sabem que eu adoro filme pasteurizado,comédia romântica aquele filme que todo mundo sabe o jeito que vai acabar.


O legal que neste filme o foco central não era a sereia, e sim a amizade de duas amigas infância que iam se separ em função do trabalho da mãe de uma delas. Também mostra as trapalhadas da sereia bonitinha descobrindo o mundo humano. Um filminho despretencioso mas com uma mensagem muito bonita. Na mesma hora me vi naquela idade com a Ká em algum lugar do planeta dando tchau com a promessa de se ver em breve. Por que quando se tem uma amizade como a que eu tenho com ela , não importa se uma mora no Polo Sul e a outra na África. O importante é o carinho, a sincronia e muitas outras coisas que fazem uma amizade verdadeira que cada dupla vai descobrindo a receita do sucesso. Eu tenho certeza que vou dar bengalada nela e arrasta-lá para os bailes da 3ª idade. Estarei com meu cabelinho tingido de roxo e o meu óculos de strass para poder ver melhor os gatinhos do salão.


Amiga nem preciso dizer que debulhei em lágrimas, sou a chorona da dupla. Vem logo pra cá!!!!

Tô com muitas saudades!

Um beijo e um bom início de semana para todos!!!!!!

4.10.07

Parabéns para Nós e para Tia Geny


Parabéns para Nós e para Tia Geny






Amiga, depois deste pedido lindo não tinha como eu não dar uma "escrevinhada" aqui rs.

Nosso lindo Blog que a Kaká cuida com tanto amor e carinho na semana passada completou 2 aninhos de vida. Em homenagem ao blog,este lindo bolo que se atia Helô comesse ia falar uns 1500 "ai Jesus". Ela era louca por doces e principalmente por morangos.

Hoje também é aniversário de uma tia emprestada que é muito importante para mim.Então dedico uma fatia deste bolo para ela também.

Minha única fã Mic esta semana te prometo um post romântico daqueles...pode esperar.

E minha amiga amada, parceira de blog e da vida você não vai mais ter momentos TOC...vou estar mais presente aqui.

Um beijo em todos!!!!!

2.10.07

Conversas iPodianas (4)

Conversas iPodianas (4)

Num momento família...

The Who: My Wife.

Oasis: Married With Children.



O modo shuffle do iPod tem suas razões.

30.9.07

Esportes, tv e uma homenagem

Esportes, tv e uma homenagem

O fim de semana foi isso: muita tv e esportes. As vezes a tv foi no computador, mas vale.

Quinta e sexta eu fui ver o mundial de volei de praia ali na Praia de Iracema. Quem me conhece sabe que eu sei quase tudo desse esporte, acompanho ha muitos anos e já fui mais assídua nos campeonatos, mas ha 3 anos eu não ia a um pessoalmente. Fui na esperança de ver novos jogadores, me disseram que os holandeses eram bons, e os russos (esses não vieram), mas cheguei lá para ver os de sempre e o vento estragou os jogos. (Aliás eu não entendo porque fazer o campeonato justo quando venta mais.) No fim, Juliana e Larissa ficaram em segundo aqui mas com o título mundial do ano (tricampeonato) e Ricardo e Emanuel confirmaram o favoritismo.

Sexta foi o fim da novela. Vi muito pouco dessa, mas adorava aquela abertura mostrando Copacabana. E que finalzinho sem graça. Só valeu pelo Olavo, ele era o melhor da novela.

Não consegui ficar acordada para ver a corrida. Droga. Perdi a chance de comemorar a vitória do Lewis Hamilton e rir muito do cabeção do Alonso rodando na pista, bem feito.

Em compensação, ou não, eu vi a final da copa do mundo de futebol feminino. Marta teve seu momento Zico ao perder um penalti e as alemãs mostraram que são boas de defesa, e de gol já que fizeram dois.

Cansei de esperar pelos canais pagos estrearem as séries novas e apelei para o computador. Heroes votou com força, o japa ainda é chato mas o Petrelli misterioso compensou. A volta de Grey's Anatomy foi fraca, mas o McSteamy teve a melhor cena. Californication é muito boa, o ex-agente Mulder está impagável como escritor com bloqueio e um grande apetite sexual. Vi uma chamada Reaper, que eu nem sei se vai passar aqui, nonsense total mas eu gostei e vou ver o segundo episódio.

Na tv eu acompanhei Friday Night Lights (o meu lado teen) e a minha preferida no momento: Studio 60 on the Sunset Strip que a Warner, sem avisar, resolveu passar episodios inéditos as quartas e aos domingos. Então já já eu vou sair aqui do computador para ver Matt e Danny tentanto colocar um programa no ar.

E foi vendo Studio 60 que eu lembrei da Tia Helo. No fim do primeiro episódio toca Under Pressure do Queen, e a Tia Helo adorava o Freddy Mercury. Eu fui no youtube e achei essa performance em Wembley no longínquo ano de 1986. Clica no play aí e vê um showman capaz de colocar 60 mil pessoas para cantar. E dizem que ele era tímido. Então comemorando o aniversário do blog e para a Tia Helo eu dedico esse vídeo.

24.9.07

Momento TOC do blog

Momento TOC do blog

Nosso blog faz 2 anos amanhã. Obaaa!

Eu não podia deixar a data passar sem um momento TOC.

- O caderninho é um blog coletivo...eu (Kaká), Luizinha e a Sue. Dos 255 posts até hoje eu escrevi 234, a Luizinha 20 e a Sue 1.

- O mês com mais posts foi junho de 2006, com 22 (justo o mês da copa). Os que tem menos foi o março de 2006 e janeiro 2007 com 6. A média é boa, 10 posts por mês.

- O tema com mais posts é esportes com 54. Eu gosto e nesse meio tempo teve a copa do mundo, pan americano, além dos torneios de tênis, volêi e F1. Aguardem as olimpíadas ano que vem.

- Depois vem filmes (33) e a Tia Helo com 32. Teoricamente filmes teria muito mais do que esportes, mas eu junto vários filmes em um post.

- A pessoa mais falada nesse blog, depois da Tia Helo é claro, é o Roger Federer. Eu nem imaginava, mas ele aparece em 12 posts sobre esportes. É que o cara é um fenômeno mesmo. O Jones, meu melhor amigo de todos os tempos, teria seu lugar, mas ele resolveu ser independente e lançou um blog próprio.

- O método que eu adotei para a Tia Helo dar notas para os filmes é quantos “Ai, Jesus!” ela diria. Quanto mais cenas de violência, sexo, escatologia etc, mais ela fala a frase. Claro que é aleatório, mas eu fui contar quantos “Ai, Jesus!” ela teria dito (precisei da calculadora tá): 12.578 vezes.

- O filme com menos “Ai, Jesus!” foi A Rainha com 5, eu acho que a Tia Helo ia entender muito a Rainha Elizabeth II, e devia gostar dela. O filme com mais foi O Código DaVinci, e nem tem sexo, nem violência e nem escatologia, mas fala da Igreja Católica.

- A expressão macho-que-é-macho aparece 28 vezes.

- O post com mais comentários foi A Escolha com 10. Todo mundo gosta de uma novela.

- O nosso comentarista mais assíduo é o Seo Coiso, que anda sumido daqui. Em segundo lugar a Mik, que é fã dos posts da Luizinha.

- Tem muita gente que acha que a Tia Helo é fruto da minha imaginação. Eu não tenho tanta criatividade assim, e a realidade sempre supera a ficção né? Ela existiu mesmo, e era viva quando criamos esse blog em sua homenagem. Ela faleceu em maio de 2006 e a Luizinha escreveu esse post. Ainda estamos devendo uma série de posts sobre a família da Tia Helo, digna do Nelson Rodrigues.

- Aqui tem os primeiros posts que escrevemos e muitos falam sobre quem é a Tia Helo.

A Tia Helo ia ficar orgulhosa desse resumo detalhado.

19.9.07

Possuídos

Possuídos

Já faz algum tempo que eu fui ver esse filme, mas só agora eu vim aqui contar. Possuídos, péssimo título nacional para Bug, é um filme de terror sem fantasmas, é sobre a mente humana, melhor, sobre os defeitos dela, e nada mais aterrorizante do que perder a sanidade mental.

Agnes (Ashley Judd, muito bem) é uma mulher que vive num motel xexelento na beira da estrada em algum lugar no meio dos EUA. Ela perdeu o filho (no sentido de perder mesmo, o menino sumiu num supermercado) há dez anos e seu ex-marido está preso. Ela é garçonete no bar local de lésbicas. Uma noite, depois de receber algumas ligações sem que ninguém falasse nada do outro lado (ela acha que é o ex-marido saindo da cadeia), ela vai trabalhar e sua colega de trabalho chama um cara para uma festinha a três no motel.

Depois de beber, fumar, cheirar e papear, a colega vai embora e Agnes fica só com o estranho Peter(Michael Shannon). Acontece que Peter tem cara de bom moço e diz que não quer dormir com ela (ele não se interessa mais por mulheres, nem sexo). Ele não tem onde ir e ela oferece para ele dormir no sofá.

No dia seguinte Agnes acorda com o ex-marido raivoso achando que ainda é dono do pedaço. Depois de uma discussão e alguns socos Peter aparece e o ex vai embora prometendo voltar. Agnes conta sua triste história para Peter e ele diz que ela seria a única mulher pela qual ele teria interese. Eles transam.

A partir daí é que começa a loucura. Peter, que é um veterano de guerra, acha que foi picado por um inseto e aos poucos convence Agnes que o inseto está na cama. Depois ela acredita que os insetos estão no quarto inteiro. Alguns dias depois a colega do bar aparece lá e diz que não tem insetos coisa nenhuma, que levou Agnes no médico e ele disse que as marcas no corpo dela eram só pequenas irritações. Peter fica com raiva e Agnes acaba colocando a amiga para fora.

Ladeira a baixo desse ponto. O quarto passa a ser inseto-proof cheio de papel alumínio nas paredes e aquelas luzes espanta-mosca. O ex-marido leva um doutor que estava procurando o Peter. O doutor consegue entrar no quarto e explica para Agnes que Peter é paranóico (isso a gente já sabe porque Peter arranca um dente achando que os ovos dos insetos estavam lá - pior cena ever!). Peter mata o doutor e faz com que Agnes chegue a uma conclusão impressionante (melhor momento de Ashely Judd na vida) sobre a origem dos insetos.

Observação técnica: esse filme tem a melhor edição de som que eu já vi, ou ouvi. E foi dirigido por William Friedkin, aquele que nos deu o ótimo Operação França e O Exorcista (de terror ele entende).

Mais do que qualquer outro, esse filme me lembrou muito a Tia Helo. Ela sabia tudo sobre "eles", suas intenções, seus métodos. E "eles" estão muito presentes nesse filme, como insetos e como o governo americano e suas conspirações. Ela diria pelo menos 415 "Ai, Jesus!", pelas cenas violentas e porque ela poderia achar justificativa que "eles" realmente existem.

17.9.07

O endereço, por favor

O endereço, por favor

No Rio:

- Rua tal, número tal.

Em Fortaleza:

- É aquele prédio vermelho com branco, com varandas, em frente a padaria tal, perto do posto de gasolina, na outra esquina da farmácia. Não tem erro.

9.9.07

Domingo esportivo

Domingo esportivo

O dia começou com a F1. O cabeção do Alonso venceu e o inglesinho Hamilton (líder do campeonato) chegou em segundo. Massa ficou no box na metade da corrida. O que dominou o grande prêmio de Monza foram as fofocas de espionagem entre a Ferrari e a McLaren que vai a julgamento no tapetão em Paris semana que vem.

A seleção canarinho jogou contra os US of A (como diz Borat) e ganhou de 4x2. Os americanos fizeram 3 gols, 2 a favor e um contra. Ronaldinho Gaúcho-Espanhol (súdito do Rei Juan Carlos), Kaká e Robinho fizeram o de sempre, ou seja, muito enfeite e pouca ação.

E para alegrar o domingo, Roger Federer entrou nas quadras de Flushing Meadows, em NY, num modelito todo preto. Chique. Jogou a final contra o sérvio Novak Djokovic, dono de uma direita poderosa. Federer não perde a calma, é um poço de tranquilidade até quando o placar está contra (o que é só por pouco tempo). Federer até brincava com Djokovic deixando ele colocar 40 x 0 no placar só para ir buscar. Djokovic só olhava para ele ria e pensava o que todos nós sabemos: Federer é f%#da!

Olha, Djoko, você joga bem, chegou nessa final com mérito, mas não é a toa que o Roger tá jogando mais uma final para conseguir o seu décimo segundo título Grand Slam (faltam só dois para igualar o Pete Sampras). E quarto US Open. Ganhou de 3x0, impecável.


Roger Federer, tetracampeão do US Open. Eu sou fã.

8.9.07

Fazendo arte 2

Fazendo arte 2
Já brinquei de Jackson Pollock e agora foi a vez de tentar ter um momento Picasso. O que vocês acham da minha fase azul?

Quer brincar também? Vai aqui se divertir, não esquece de dar uma olhada na galeria que vale a pena.

3.9.07

Weekend na Taíba

Weekend na Taíba

A pedidos do anônimo nos cometários do post aí embaixo, aqui estão algumas fotos da Taíba.

Esse fim de semana fomos para a Taíba, e foi super animado. Teve festa de aniversário (duas) e muitas atividades. O festival do escargot estava rolando na pracinha da vila, mas lá em casa estava muito mais legal.

O Jones, meu melhor amigo de todos os tempos, se divertiu muito como vocês podem ver a seguir.


Jones correndo para o velejo

"Olha Jones! É assim que se faz."



Jones e seu estilo inconfundível de jogar volei. Campeão!


Só faltou o Uno, né Jones? Prometo que da próxima vez tem.


26.8.07

Fundo musical

Fundo musical

Eu estava aqui escutando o Esporte Espetacular e começou a tocar I Don't Feel Like Dancing do Scissor Sisters. Olhei para a tv para prestar atenção na reportagem. Era sobre rodeio. E não era edição do programa, a música estava tocando in loco.

Adoro a música, é bem animada, mas não combina nem um pouco com os peões montados nos touros....ou combina?

25.8.07

Pedido

Pedido

A prefeitura finalmente colocou uma banda boa para tocar no anfiteatro aqui em frente. Eu, Beth e Nick descemos para ver a tal Rubber Soul, banda cover dos Beatles.

Lá pela metade do show...

Eu:Será que se eu gritar uma música eles tocam?

Nick: Grita 'Satisfaction'.

24.8.07

+ Filmes

+ Filmes

O Ultimato Bourne

Pausa para um suspiro....ai....ai...Jason Bourne é de tirar o fôlego. Sério, dá para ficar cansada vendo o filme. O Nick disse que fez 200 abdominais na cadeira do cinema.

A história todo mundo sabe: Jason Bourne atrás de sua identidade, ou de pelo menos quem saiba, rodando o mundo e sendo perseguido por assassinos profissionais que nem ele.

Acontece que ele é o melhor de todos e não é fácil assim pega-lo. Aliás, o povo da CIA só o encontra se ele quiser. Jason Bourne é metódico, organizado, muito bem preparado e pensa rápido. A melhor cena é dele na estação de Waterloo em Londres guiando um jornalista pela multidão. De dar arrepios de tamanha precisão e coordenação dos movimentos. O pessoal da CIA o treinou bem.

Jason Bourne é tão macho-que-é-macho que as mulheres da CIA todas o apóiam. Eu também!

A Tia Helo não ia curtir muito o ritmo rápido do filme, mas ela ia gostar da idéia de que “eles” são os culpados. 315 “Ai, Jesus!” para O Ultimato Bourne.


Os Simpsons

Ótimo!! Se você ainda não foi ver, vá. É diversão garantida. Homer, pra variar, faz uma grande besteira que faz com que toda cidade queira matá-lo.

Bart tem uma das melhores cenas com seu skate e zero roupa. O Green Day canta o tema da abertura com direito a ler a letra.

Contar mais é estragar a festa.

A Tia Helo diria 451 “Ai, Jesus!” para a família amarela. Mesmo eles indo a igreja.


Sem Reservas

Hum, comédia romântica bobinha. Catherine Zeta-Jones faz uma chef de cozinha que recebe de herança a sobrinha e ainda tem que se adaptar ao novo sous chef (Aaron Eckhart, a melhor coisa do filme). É isso.

Foi baseado (copiado, remake, etc) num outro filme alemão chamado “Simplesmente Marta”. Eu não vi, mas a Bi, que foi no cinema comigo, viu e disse que os americanos hollywoodiaram (inventei a palavra, ou não) o filme. Ela disse que do original ela sempre lembra, mas que esse ela ia esquecer logo. Eu li em algum lugar (não lembro onde, desculpa não colocar a referencia aqui) que esse filme é fast food e o alemão é gourmet.

Ou está sobrando dinheiro no mercado cinematográfico americano para refazer filmes estrangeiros (traduzindo para o público local) ou está faltando idéias originais em Hollywood.

A Tia Helo talvez gostasse desse filme. A versão americana mesmo. Diria só 12 “Ai, Jesus!” para Sem Reservas e todos com água na boca.

Eu saí do cinema com fome.

21.8.07

Fazendo arte

Fazendo arte



Eu vi esse passatempo lá no Querido Leitor.
Clica aqui para ter o seu momento Jackson Pollock.
O que vocês acharam do meu?

16.8.07

Momento TOC teen

Momento TOC teen

Na falta de capítulos novos de Lost eu resolvi assistir a série teen Friday Night Lights (dramas de um time de futebol americano de uma escola numa daquelas cidades bem pequenas no interior do Texas). Depois de ver todos aqueles garotos (ou não, já que os atores todos já passaram dos vinte) sarados correndo no campo, cheguei a conclusão que as meninas de hoje tem muito mais sorte ao olhar para a telinha.

Quando eu era adolescente só tinha Barrados no Baile e eu tinha que me contentar com o Brandon Walsh (mauricinho bom moço) e o Dylan Mckay (falso surfista), uma bela porcaria já que eu não achava nenhum dos dois interessantes.

Então eu resolvi fazer uma lista dos personagens teens de séries juvenis recentes que eu mais gosto, e imaginar que eu ainda tenho 16 anos.



1.Clark Kent de Smallville (Tom Welling)
Alto, forte, olhos azuis, a barriga sarada e ar de bom moço. Ele já saiu da escola e entrou na faculdade, mas não perde aquela cara de anjo. As vezes vira bad boy sobre a influencia da kryptonita vermelha e fica um pouco mais interessante. E o melhor é que ele é o Superman sem a cueca por cima da calça. Quem resiste ao sorriso campeão?

2. Tim Riggins de Friday Night Lights (Taylor Kitsch)
Ai, ai, esse foi paixão no primeiro capítulo. Ele mora só com o irmão, tem ar de abandonado, tem cabelo comprido (mas não muito), fica com a namorada do melhor amigo e é quase alcoólatra. Ele é problemático, mas é lindo, tem uma voz aveludada, fala sussurrando, e gosta das mulheres de 30, muitos pontos para ele. Macho-que-é-macho. Quando crescer vai ser o Sawyer de Lost.

3. Oliver Queen de Smallville (Justin Hartley)
Ok, ele não é adolescente, já entrou na série quando o Clark estava na faculdade e ele já era um milionário homem de negócios, mas a série é teen e ele merece muito estar nessa lista. Órfão rico decidido a salvar o mundo ele cria a liga da justiça e é o Green Arrow. É tão bonito e charmoso que conseguiu colocar o Clark de lado e conquistou a Lois Lane.

4. Peter Petrelli de Heroes (Milo Ventmiglia)
Ele também não é mais adolescente, mas com todos aqueles poderes daqui a pouco ele adquire um onde ele não vai envelhecer. Enfermeiro atencioso preocupado com o bem da humanidade, mas sofredor por conta de uma família dominadora.

5. Ryan Atwood de The OC (Benjamin Mckenzie)
Ele é uma versão mini do Russel Crowe. É garoto problema abandonado pela mãe, adotado por uma família rica, inteligente, brigão, não fala muito e come quieto.

6. Jake Jaglieski de One Tree Hill (Bryan Greenberg)
O jogador de basquete que chegava atrasado nos treinos porque tinha que cuidar de uma filha que ninguém sabia que ele tinha. Adolescente responsável. Se apaixonou pela Peyton, mas teve que fugir da cidade para não perder a filha. Só participou da primeira temporada, e depois que ele saiu eu parei de assistir.

13.8.07

Compras (ou advertising for friends)

Compras (ou advertising for friends)

A minha amiga Bi abriu a nova loja Cipolla, agora mais perto, aqui na Aldeota. A loja está muito bonita e cheia de novidades! Para chegar vai pela Des. Leite Albuquerque, segunda rua a esquerda depois da Osvaldo Cruz. Fica na vila de casas.

Quer saber o que tem lá? Olha aqui, e depois vai até a loja.

Eu já fui e já comprei.

12.8.07

Outras Tias 4

Outras Tias 4

A Tia Eliane (amiga da minha tia Kathia) estava no restaurante com os amigos quando um pedaço de picanha se instalou na sua garganta. Ela começou a engasgar mas ficou com vergonha e ao invés de pedir ajuda a um dos amigos saiu do restaurante.

Lá fora ela, já quase sufocada, pediu para o guardador de carro dar uns tapas nas suas costas. O amigo flanelinha atendeu o pedido e deu alguns socos até ela pegar um arzinho e colocar a picanha pra fora.

Acontece que a vendedora da loja em frente ao estacionamento achou que o guarador de carro estava batendo nela porque ela nao queria dar o trocado e saiu da loja gritando "Não bate!!!! Não bate nela!! Eu te dou um real!!!".

9.8.07

Mais QI, menos sexo

Mais QI, menos sexo

Um dia desses eu aluguei um filme chamado Idiocracy (não lembro o nome em português).

O filme começa dizendo que hoje em dia as pessoas inteligentes demoram muito para ter filhos, ficam adiando por vários motivos e quando resolvem tê-los ou fica difícil, ou já não podem mais. E compara com as pessoas de QI menor que fazem muitos filhos.

O Luke Wilson faz Joe um funcionário o exército, de QI médio, que passa os dias arquivando sei-lá-o-que. Um dia os militares decidem fazer uma experiência top-secret congelando um casal por um ano. Escolhem Joe, que não tem família, nem namorada, e Rita, uma prostituta.

Depois que são congelados, os responsáveis pelo experimento são presos mas como era top top secret ninguém sabe dos congelados e eles ficam lá esquecidos por 1000 anos. Isso mesmo, mil anos.

No futuro os EUA são várias pilhas de lixo, e a cápsula dos dois está no topo de uma enorme quando jogam uma latinha de cerveja e depois de cair do topo as cápsulas se abrem.

Joe descobre que a população ficou burra (claro, os burros tinham mais filhos). Além de a cidade ter virado só lixo, as pessoas só bebem energéticos (água é coisa de privada), o vocabulário é péssimo e passam o dia jogando vídeo game sentados numa cadeira que já serve de banheiro.

Acontecem muitas coisas e Joe acaba preso, lá ele faz um teste de QI (básico) e consegue a pontuação máxima se transformando no homem mais inteligente do mundo. Ao fugir da prisão (disse pro guarda que estava na fila errada) ele é recrutado pelo presidente para dar uma solução para a fome, já que nada cresce nas plantações (porque é tudo irrigado com energéticos – água só no vaso sanitário).

O filme é engraçado no começo e perde no fim. A Tia Helo diria 300 “Ai, Jesus!”, se bem que como ela era chegada em guardar pilhas de coisas e em junk food não ia achar o futuro tão ruim assim.

Eu lembrei desse filme porque li no blog do Pedro Dória
essa notícia que:

“Um adolescente com QI igual a 100 tem até cinco vezes mais chances de transar do que um adolescente com QI de 120 - 130.”

Ok, é uma daquelas pesquisas americanas onde só os números interessam, mas eu acho que o filme calculou errado e vai acontecer em menos de 1000 anos.

7.8.07

Vôlei de praia?

Vôlei de praia?

Hoje eu falei com o meu amigo Riccardo (com "c" duplo- coisa de italiano) que está na Noruega para mais uma etapa do mundial de vôlei de praia. Aí ele me disse que esse ano eles só jogaram na praia (com mar, areia e sol) de verdade na Itália e em Portugal.

Portugal foi em junho, de lá pra cá eles jogaram em lugares como: Paris, Berlim, Montreal, Gstaad (Suiça), Klagenfurt (Austria) e Zagreb (Croácia). Ele disse que na maioria desses lugares com frio e chuva. (Uma pena porque esses campeonatos longe da praia são muito mais animados.)

Depois da Noruega tem Finlandia, Russia e Polônia. Os jogadores só vão ver praia mesmo na etapa do Brasil, aqui em Fortaleza.

Ou seja, o beach volley agora é vôlei de duplas na areia.

29.7.07

Pan Carioca - fim

Pan Carioca - fim

Acabou. Foi legal, animado, emocionante e até organizado. Pela tv foi ótimo.

Eu só não gostei das vaias para os atletas de outros países. Com a bola rolando vale tudo, mas ficar vaiando enquanto eles são apresentados, ou se apresentam, e na entrega de medalhas é falta de educação mesmo.

Resumindo a segunda semana:

- volêi masculino melhor time de todos os tempos ever ganhou ouro sem perder um set.
- o basquete masculino também levou ouro.
- os cavalos saltaram bonito e foi ouro por equipes com direito a vaga em Pequim.
- Saretta reagiu e valeu a pena.
- o atletismo foi muito bom, só não foi melhor proque choveu no ultimo dia.
- a tv só mostrou os brasileiros nos saltos ornamentais e no nado sincronizado...eu queria ter visto os outros.
- a chegada da maratona foi uma das mais emocionantes dos últimos tempos, ouro para o Franck.

No fim deu tudo certo. Espero que essas 161 medalhas tragam melhorias (publicas e privadas) para os esportes que só são lembrados de 4 em 4 anos.

27.7.07

Conversas iPodianas (3)

Conversas iPodianas (3)

E hoje no iPod: Qual o melhor corte de cabelo?

Beck queria o Devil's Haircut e Nazareth prefere o Hair Of The Dog.

20.7.07

Pan Carioca (3)

Pan Carioca (3)

Resumo da semana:

- Meus amigos estão me deixando orgulhosa nesse Pan. O Julio Almeida, que é meu amigo de infância, ganhou a medalha de prata no tiro e de quebra uma vaga na Olimpíada de Pequim.

-E minha amigas Juliana e Larissa vão disputar o ouro do vôlei de praia contra Cuba amanhã a noite.

-A ginástica fez bonito. Quase todos levaram medalhas. Diego Hypolito prometeu e cumpriu. A torcida estava animada e as meninas robôs bonitinhas dos EUA mais uma vez mostraram eficiência.

-A natação está em festa. Os EUA sempre mandam o time b/c e ganham, mas dessa vez a história é outra. O Tiago Pereira tem mais é que aproveitar esse momento. Eu sou fã do Kaio Marcio, ouro nos 100m borboleta e tranquilão.

- Primeiro foi o taekwondo e agora é judô colecionando medalhas.

-O futebol feminino do Brasil é só goleada. E é até mais legal de ver do que os homens, menos catimba e mais gols.

-O americano que ganhou o triatlon é um trator. Ouro merecido.

-O vôlei de quadra feminino do Brasil não merece um comentário. Mas as cubanas sim. Jogaram muito e foram certeiras.

- O handebol masculino, sucesso absoluto entre o público feminino, vai fazer a final domingo (ainda não saiu o adversário). E a melhor frase da semana só poderia vir do esporte coletivo mais macho-que-macho do Pan, depois da vitória contra Cuba um dos jogadores disse para o repórter “respeitamos o Uruguai, mas a gente vai passar por cima”. Dito e feito, do jeito que eu gosto (28 x 16).

- E o jogador mais festejado da torcida no Handebol hoje não foi o Bruno Souza, foi o Orlando. Quem?? Isso mesmo, Orlando, jogador uruguaio baixinho e gordinho, do tipo com pneus marcados pela camisa justa. Quando ele fez um gol a torcida foi ao delírio e ficou gritando o nome dele “Orlando! Orlando!”. Ele adorou.

17.7.07

Estou de volta

Estou de Volta!


Amados leitores I'm back!!!

Isso mesmo Luizinha voltou. Depois de muitas viagens, muitos rolos pessoais estou de volta aos nossos amados leitores!

Para homenagear a minha volta e a minha amada Kaká um fotinha de retorno ao Blog.

Beijos!

16.7.07

Carioca da gema

Carioca da gema




Copacabana? Ipanema? Leblon? Que nada. Para dizer que conhece mesmo o Rio de Janeiro tem que ir a Tijuca. E não vale dizer que já foi ao Maracanã porque a Tijuca é mais.

É o bairro dos Anos Dourados, onde fica o Colégio Militar e o Instituto de Educação, lá tem a Praça Saens Pena, o Shopping Tijuca (onde as lojas vendem mais que na zona sul), e muitos consultórios médicos. É o único bairro com nacionalidade e onde morou a Tia Helo durante toda vida.

Os tijucanos, apesar de muitos terem migrado para a Barra buscando areia da praia, tem o maior orgulho do seu bairro.

A Luizinha mora lá e eu sempre que estou no Rio ando muito no metrô entre Copacabana e Tijuca. Em uma dessas férias eu levei a Bi para conhecer o famoso bairro. A Luizinha então nos declarou tijucanas honorárias e nos deu essas camisetas aí da foto. A gente usou aqui em Fortaleza e já posso dizer que a Tijuca vai receber muitos turistas cearenses daqui para frente.

14.7.07

Pan carioca (2)

Pan Carioca (2)

Eu tinha esquecido o quanto eu gosto de handball. É corrido e disputado. Coisa de macho-que-é-macho. E tem os atletas mais bonitos dos esportes de grupo do Brasil.

Acabaram de ganhar do Chile de 33 x 20.

Pan carioca

Pan carioca


Foi bonita a abertura do Pan ontem o Maracanã. O que eu gostei mais? Aqui está a listinha.
- A Elza Soares cantando o hino nacional foi bonito.
- O Vanderlei foi o porta bandeira mais animado de todos os tempos.
- As porta-bandeiras azuis no centro
- As fantasias da parte floresta e o jacaré gigante
- A coreografia da Deborah Colker, rapidinha mas bonita
- A parte da água
- As vaias para o barbudo
- A escultura da pira olímpica.
- O carnaval final com Aquarela do Brasil
- O mais bonito mesmo foi o show pirotécnico usando a forma oval do estádio. Fantástico!

Parabéns para a organização.

12.7.07

Fala Ney! (3)

Fala Ney! (3)

No quiz de ontem a pergunta era... Desde 1889, quantos presidentes tinham como profissão: médico?

Ney: "O JK eu tenho certeza. Eu vi o Wagner Moura se formando na tv."

Hahahaha! E era só ele mesmo.

9.7.07

Penta

Penta

Enquanto eu corria ontem nas ruas de Fortaleza, Lewis Hamilton largava na pole do GP da Inglaterra. Ele não ganhou, mas fez seu nono pódio em nove corridas. É o líder do campeonato com 12 pontos na frente do cabeção do Alonso. O garoto é impressionante. Já sou fã.

Agora, fã mesmo eu sou do Roger Federer. Venceu Wimbledon pela quinta vez, ninguém segura ele na grama. Até Bjorn Borg, outro pentacampeão na Inglaterra, estava lá batendo palmas para o suíço. A final contra Rafael Nadal, foi 3x2 em quase 4 horas. Foi o seu décimo primeiro Grand Slam. Muitas palmas para ele.

8.7.07

Domingo corrido

Domingo corrido (2)

Ano passado foi assim.

Esse ano até que foi fácil formar uma equipe. Todo mundo quer participar de um dos eventos mais animados da cidade. A inscrição foi tranqüila, nenhuma desistência esse ano, o difícil é fazer o pessoal chegar na hora.

Mas no fim deu tudo certo. Ufa!

Esse ano o nosso tempo foi bem melhor do que no ano passado, esforço da equipe em manter os 5km abaixo de 35 min. Dois conseguiram em menos de 30min, dois em 30 exatos e o resto (eu incluída) entre 32 e 34min.

Claro que depois teve o churrasco, merecido!

Vizinhos, ano que vem tem mais!



Fatima

Bi

Karine

Andrea


Cesar

Jr

Luciano



E é claro que temos um video esse ano e o premiado foi o Nick.



7.7.07

Live Earth

Live Earth

Liguei a tv agora a pouco para ver o que estava acontecendo no Live Earth do Japão e de Sydney. A decoração dos palcos é bem parecida e só dá para saber onde é pela platéia. Até agora eu vi o Linkin Park animando os japinhas e John Butler Trio, Jack Johnson e Crowded House (alguém lembra deles? hey now, hey now, don't dream its over) animando os cangurus. No meio do show do Crowded House a luz do palco apagou e só se via o telão, o vocalista disse "É, acho que vamos economizar na energia né?".

O chato de ver na tv é que não se pode escolher quem assistir, mas o youtube resolve isso. O mais chato ainda é a tradução simultânea. Eles passam uns filminhos sobre o meio ambiente nos intervalos e acontece que alguns já tem a dublagem para o inglês e ainda a tradução simultânea para o português. Acaba que eu não entendo nada em língua nenhuma.Péssimo. E não tem tecla SAP. Argh!! Mas o comentarista do 42, Pedro Só, é legal.

Não vou ficar o dia inteiro na frente da tv, mas volto aqui com alguns updates.

10:26 - nesse momento a Shakira está rebolando em Hamburgo, com chuva.

10:40 - agora é a vez de Xangai com 12 Gilrs Band tocando Beethoven com uma batida eletrônica. Todas de amarelo, super organizadas. Elas tocam um instrumento que parece um berimbau com som de violino.

10:50 - Londres, finalmente, SOS Allstar Band, só bateristas e percussionistas. Adoro bateristas. Essa foi só para começar a animação inglesa. Com muito sol.

11:30 - os tios do Genesis estão colocando os ingleses para pular.

13:11 - Londres, o vocalista do Kasabian agradece o público dizendo "vamos salvar os ursos polares", dá um gole na cerveja e faz os ingleses levantarem os braços com mais música. Eles são muito bons.

13:55 - estava demorando para aparecer uma bandeira brasileira em Wembley. No palco Balck Eyed Peas.

14:30 - Duran Duran sempre com um visual clean e correto cantam "Ordinary World". Já é a segunda vez deles em Wembley essa semana.

14:48 - Red Hot Chilli Peppers agitam Londres. O comentarista achou que o público não se animou muito e está se guardando para o Bloc Party que vem a seguir. Eu não acho, Anthony Kieds agita a platéia como poucos. O baterista deles é muito bom.

15:10 - Copacabana no ar. Falta uma hora para o xou da Xuxa e a praia está super vazia.

15:27 - Mandaram os latinos para Hamburgo ver se os alemães rebolam. Teve a Shakira e agora o Enrique Iglesias está sendo apalpado por mulheres e homens no meio da platéia. Aliás tem um garoto de casaco vermelho que não solta ele de jeito nenhum.

15:50 - A praia de Copacabana já está mais cheia. Droga!!! Não mostraram o Bloc Party. Agora está a sem graça da Corinne Bailey Rae em Londres.

16:02 - O Edgar está entrevistando a Cristiane Torloni. Eu quero ver Wembley!!!

16:05 - ufa!! Keane em Londres.

16:26 - Copacabana cheia e o Metallica deprimindo os ingleses. Vou sair. Será que vou perder o Foo Fighters e a Madonna?

00:35 - Perdi tudo. Vou ver no youtube. Cheguei em casa a tempo de ver o Bon Jovi em New York, mas já encheu o saco e vou dormir, vou fazer a minha parte economizando energia.

5.7.07

Help tecla SAP!

Help tecla SAP!

Eu já tinha filosofado no assunto quando o Homem Aranha estreou nos cinemas com mais cópias dubladas do que legendadas. Mas ao assistir Bones na terça e ver que estava dublado no canal pago me deu um certo pânico de que, num futuro próximo, seja decretado o fim das legendas na tv paga e no cinema.

E não foi só Bones, 24horas teve Jack Bauer falando “UCT” e “droga”, e os cirurgiões de Nip/Tuck falando bom português. Fica sem graça. A voz original, por mais que não se entenda a língua e por melhor que seja o dublador, é essencial. Assim eu nunca vou saber qual a voz do ator Michael C. Hall, já que Six Feet Under é dublado na Warner (sem SAP) e do jeito que vai, Dexter vai ser dublado na Raposa, ops, Fox.

Respeito que as pessoas tenham preguiça de ler a legenda, eu também acho muito chato quando vou ver filmes em línguas que não entendo, mas ainda assim prefiro ler a legenda.

Aliás, nada melhor do quer um filme dublado em outra língua para saber o quanto se perde comparando com o original (coloca Cidade de Deus dublado em inglês no dvd). Sem contar que atores diferentes ficam com a mesma voz: o Superman de Christopher Reeve tem a mesma voz que o 007 de Roger Moore, e que o Rambo de Stallone.

Em países com França, Espanha e Itália os filmes são todos dublados. Na França e na Espanha ainda se acha alguns poucos cinemas que exibem V.O. (versão original), mas na Itália não existe, e os italianos acham seus dubladores os melhores do mundo. Scusi, mas a eficiência do dublador é proporcional à compreensão do espectador.

(a dublagem pode até não ser um fator, mas esses são os países que pior falam inglês na Europa e querendo ou não, gostando ou não, o inglês é o idioma da comunicação internacional)

Acho que os filmes devem sim ser dublados para TV aberta, para o DVD (como opcional) e até para o cinema para as crianças (mas com a opção legendadas para as crianças maiores – de idade).

Aqui em Fortaleza nem tem mais sessões legendadas de desenhos animados. Nem umazinha no fim da noite, no horário que as criancinhas estão dormindo.

Será que os canais pagos realmente ganham um grande pedaço de mercado ao dublarem as séries e filmes? Se for esse o caso, passa num horário legendado e noutro dublado. Curiosamente a TNT que sempre passou filmes dublados passa suas 2 séries, The Closer e Verônica Mars, com legendas.

Eu ainda posso recorrer a tecla SAP (em alguns canais), mas eu fui alfabetizada na língua da Rainha Elizabeth II. E quem não entende tão bem e quer áudio original como é que fica?

Depois não vem reclamar dos downloads.

1.7.07

Caos aéreo

Caos aéreo (ou como se divertir no aeroporto por 10 horas)

Não vou entediar os meus 5 leitores falando da falta de respeito das companhias aéreas que se aproveitam da confusão dos controladores para deixar passageiros esperando horas e horas até encherem um avião. Blá, blá, blá... Vou contar como eu passei as 10 horas no aeroporto.

Para começar uma emoção no check in quando um senhor gritou tão alto que calou todo terminal 1 do Galeão. Logo no começo o meu vôo já estava atrasado, mas era só meia hora.

Já dentro do embarque comecei a passar o tempo olhando a loja e a livraria, aproveitei para comprar uma revista e palavras cruzadas prevendo a demora (aliás acho que esses atrasos são para dar dinheiro para as lojas do aeroporto). Quando eu vi que o vôo ia atrasar resolvi fazer um lanchinho na única representante do setor alimentar. Depois de forrar a pança foi que eu vi que o meu vôo que deveria sair as 12:20 (já com atraso) só ia sair as 16.

Ok, nada de desespero. Saquei o celular e avisei a família do atraso e aproveitei para passar uma hora jogando pinball oferecido pela Nokia. Depois de uma ida ao banheiro sentei e li o jornal abandonado na cadeira do lado. Atualizada, eu resolvi sacar o iPod e escutar música. Depois de meia hora eu comecei a jogar a paciência oferecida pela Apple, mas depois de uma hora eu quase adquiri uma miopia (vai enxergar as mini cartas naquela mini tela) e uma lesão por esforços repetitivos.

Sim, eu tinha um livro, mas o estava guardando para o avião.

Hora de esticar as pernas e circular. Já eram 15 hrs. Parei na loja para ficar assistindo o dvd do jubileu da rainha da Inglaterra. Fiz amizade com uns ingleses desavisados que estavam esperando um vôo da BRA. O vôo deles era para ter saído um dia antes, mas na BRA esse “atraso” é normal. Os ingleses saíram as 16:30 indo para Fortaleza via BH, Salvador, Recife e Natal.

No meio da conversa com os súditos da Elizabeth II eu vi uma confusão no que seria o meu portão de embarque. Claro que o vôo tinha sido adiado mais uma vez e o cearenses estavam arretados. Depos de muita reclamação deram um vale-comida e disseram que o embarque seria as 19.

Dona Cremilda (eu não inventei esse nome) viu o grande i de informação na minha testa e resolveu que eu seria sua guia pelo aeroporto. Então fomos almoçar/jantar com o rapaz que já esperava um vôo desde a madrugada. Para quem serve amendoim e barra de cereal o almoço foi um super upgrade.

Alimentada eu deixei a dona Cremilda de volta no portão de embarque e fui passear lá no terminal 2 que tem outras lojas e outras pessoas. Lá também tinha vôo atrasado, gente reclamando etc.


De volta ao meu terminal, liguei para Luizinha e dei um update da situação, depois sentei e li a revista. As 19:30 moça informou que o avião tinha pousado, todos bateram palmas e correram para o portão de embarque num leve desespero como se o vôo fosse sair já. Ainda demorou mais uma hora, mas as 20:30 saímos do Rio de Janeiro.

Cheguei aqui em Fortaleza as 23:50, junto com os ingleses da BRA, tão cansada quanto eles, e nem ganhei um aviãozinho de brinde.

27.6.07

Troca

Troca

Tony Blair está deixando o Downing Street hoje. Resolveu renunciar ao cargo de primeiro ministro antes das eleições.

Eu sei que os ingleses tem o que reclamar dele, mas ele bem que podia deixar de lado esse negócio de achar uma solução para o conflito Israel-Palestina, trocar de nacionalidade e se candidatar a presidente aqui.

Inovação

Inovação

Quem anda aqui no calçadão de Copacabana todo dia ou quem já andou alguma vez sabe que tem aquelas esculturas de areia ao longo dos 4km. Essas esculturas são as mesmas há anos. No posto 2 tem os monstros marinhos, no posto 4 tem aquelas casinhas com telhado vermelho, entre o 4 e o 5 tem as mulheres com a bunda pra cima e perto do posto 5 tem o castelo.

Os artistas só fazem manter suas obras ao longo dos anos ( o que inclui retoques e pessoas dormindo na praia guardando a obra) e o máximo que eles acrescentam são frases relativas aos eventos, tipo: feliz ano novo. Agora com o Pan todos colocaram o solzinho mascote.

Bom, quase todos. Felizmente o cara do posto 5 resolveu inovar. Derrubou o castelo e levantou uma réplica do Maracanã. Hoje ele ainda estava terminando, mas até onde eu vi está ficando muito bom. Vamos ver quanto tempo dura essa escultura.

**Update**


Aqui está a foto do Maracanã de areia (ainda um work in progress), ele também fez o solzinho mascote mas eu preferi só o estádio com arquibancada dentro.


22.6.07

Inverno carioca

Inverno carioca


Inverno bom é esse aqui do Rio. É aquela temperatura de ar condicionado o dia inteiro, super agradável. Nada de suar com calor e nem se encolher com frio.

E tem feito dias lindos. A cidade merece.
Isso já tem três semanas....que dure mais uma até eu voltar a suar no Ceará.

19.6.07

+ Filmes

+ Filmes

Shrek Terceiro

Ai, ai, a Luizinha vai me matar, mas eu não resisti e fui ver a terceira aventura do ogro verde e seus amigos.

Nesse filme o rei de Far Far Away está a beira da morte e precisa passar o trono adiante. Shrek não quer saber da responsabilidade e vai atrás do segundo na linha do trono, ninguém menos que Arthur, ou Artie para os íntimos.

Artie vive na sua escola, é sacaneado por Lancelot e apaixonado por uma Guinevere que mais parece Paris Hilton. Shrek o tira de lá para ser o futuro rei. O que eles não sabem é que o Príncipe Encantado se juntou ao Capitão Gancho e a Madrasta da Branca de Neve para que os vilões tomassem o trono e tivessem o seu final feliz.

Para saber quem teve um final feliz é só ir ao cinema se divertir e dar boas risadas.

A Tia Helo não ia gostar nem um pouco do absurdo que é o Shrek, por São Hans Christian Andersen é muita confusão com os contos de fadas. 112 “Ai Jesus!” para a turma de Far Far Away.


O Despertar de uma paixão

Edward Norton faz um médico bacteriologista que conhece Kitty (Naomi Watts), se apaixona, casa e a leva para viver na China. Kitty por sua vez casou para sair de casa e em nenhum momento mostrou interesse no médico.

Na vida agitada de Xangai Kitty não demora a achar um amante. O médico decide então leva-la para o interior da China, como um castigo, onde ele se ofereceu para cuidar de uma epidemia de cólera.

No meio da epidemia e da revolução nacionalista, Kitty e o médico passam um bom tempo se ignorando, mas aos poucos vão se descobrindo. Contar mais é estragar mais ainda o que o título nacional já estragou.

A fotografia é linda. Edward Norton escorrega um pouco no sotaque britânico, mas ele pode (aliás, porque que quando os britânicos fazem americanos, o sotaque deles é sempre perfeito e o contrário não acontece?).

A Tia Helo ia gostar um pouquinho desse filme. É uma história de amor e tem freiras isoladas ajudando os pobres. Só 15 “Ai, Jesus!” para esse filme.


Fur

Diane Arbus gostava de tirar fotos de pessoas para mostrar suas individualidades, a diferença entre elas. Seus objetos de observação muitas vezes podem ser considerados freaks, e ela usava uma máquina e lentes que a ajudavam a ressaltar essa individualidade.

Nesse filme o diretor e a roteirista imaginaram o que teria levado a dona de casa e assistente do marido a começar a bater as fotos que a levariam a ser uma das artistas americanas mais importantes do século XX.

Nicole Kidman faz Diane, filha de pais ricos, casada com um fotógrafo de moda do qual ela é assistente e, o que chamam agora de stylist. Mas Diane tem seus segredos, angústias e um marido muito compreensivo.

Um dia um vizinho estranho se muda para o ultimo andar de seu prédio e atiça a curiosidade de Diane. Ela faz amizade com o homem que anda encapuzado e coberto devido a uma anomalia que o deixa parecendo um yorkshire gigante (ou o Chewbacca para os íntimos de Star Wars). Lionel (Robert Downey Jr) é um freak, trabalhava como freak de circo e agora faz perucas (cabelo é o que não falta). Ele a seduz com sua capacidade de entender que ela também é freak. Diane se sente a vontade entre ele e seus amigos, começa a abandonar a família e mudar sua vida.

Lionel seria sua primeira foto.

Esse filme é uma mistura de fantasia e realidade, tem muitas referências a Alice no país da maravilhas (inclusive um coelho branco). É bem feito e bem interpretado.

Eu gostei muito. A Tia Helo já não ia gostar nem um pouco em ver que o freak entupia os canos com cabelo... 115 “Ai, Jesus!” para Fur.