17.3.12

Analisando a música: You Only Live Once (The Strokes)

O The Strokes surgiu no fim dos anos 1990 quase entrando em 2000. Depois do grunge, antecipando uma invasão indie (e hipster) que viria a seguir (também o britpop, britrock e glam rock), a banda nova iorquina decidiu mater o som de garagem, mas seus integrantes trocaram as camisas xadrez pelo skinny jeans. O Julian Casablancas tem aquele vocal um pouco sujo que funciona, e a bateria é sempre precisa.

O primeiro sucesso foi  a ótima Last Nite, do album Is This It. Depois veio o Room on Fire, que é o meu preferido, um dos melhores albuns com músicas para correr de ponta a ponta (tem a deliciosa 12:51, a batida certa de The End Has No End, e a tensa Reptilia). É do terceiro album, First Impressions Of Earth, que vem a música analisada da vez: You Only Live Once.

Essa música nasceu como I'll Try Anything Once (ótimo nome de música e filosofia de vida), que depois foi parar no lado B do single Heart in a Cage, e ficou famosa na cena da piscina no filme Somewhere da Sofia Coppola. Então, para colocar no album adicionaram a batida, um ritmo mais animado, mudaram a letra (mas a intenção é a mesma), gravaram um clipe bacana e virou You Only Live Once. Gosto das duas letras, mas prefiro a batida mais animada da segunda. A banda criou a operação YOLO na qual convocaram os fãs para pedirem a música nas rádios e assim chegar ao topo das paradas só com um boca a boca. Funcionou.

Some people think they're always right
Others are quiet and uptight
Others, they seem so very nice
Inside they might feel sad and wrong


A primeira impressão que tenho é que essa é uma música sobre briga, ainda mais pelo refrão, mas depois concluí que faz a linha: ah, para que me estressar, a gente só vive uma vez mesmo. 

A música já começa com uma analise das pessoas em geral: algumas acham que estão sempre certas, outras são quietas e tensas, algumas parecem legais, mas no fundo talvez se sintam tristes e inadequados. Ou é ele sendo sarcástico com a namorada?

Twenty-nine different attributes
Only seven that you like
Twenty ways to see the world
Twenty ways to start a fight



Ela é uma pessoa que tem vinte e nove qualidades diferentes (29??), mas ele só gosta de sete, ou ele tem as qualidades e ela é exigente? Ele diz que tem vinte formas de ver o mundo e vinte maneiras de começar uma briga. Pelo jeito discordam de muita coisa.

Oh, don't don't don't get out
I can't see the sunshine
I'll be waiting for you baby
'Cause I'm through
Sit me down, shut me up
I'll calm down
And I'll get along with you



O refrão. Então ele diz para ela "Olha, não vai embora, eu não vejo a luz, mas vou te esperar. Cansei. Me senta e me cala (Oi? Como?) que eu fico calmo e aí a gente se entende". Traduzindo: ok, ok a gente briga mas no fim eu calo a boca e tudo dá certo, chega de DR, a vida é curta.

Men don't notice what they got
Women think of that a lot
One thousand ways to please your man
Not even one requires a plan, I know



Aqui é o seguinte: homens não estão nem aí (ou não reparam no que tem) e mulheres pensam demais. Ah, a boa e velha diferença entre os gêneros. Para ele, as mulheres pensam em mil maneiras de satisfazer seus homens, mas que nenhuma precisa de um plano, ou seja, as mulheres não precisam pensar tanto. (agora entendi porque ele pede para a menina calar a boca dele)

And countless odd religions too
It doesn't matter which you choose
One stubborn way to turn your back
I guess I've tried and I refuse



Não sei onde as incontáveis religiões entraram na conversa, acho que é um jeito dele dizer que não importa qual a sua escolha religiosa, são todas estranhas, e formas de se tornar inflexível. Que a vida é curta (afinal, só se vive uma vez) e que não precisa disso. Tentou e recusou, muito bem.

Don't don't don't get out
I can't see the sunshine
Oh, I'll be waiting for you baby
'Cause I'm through
Sit me down, shut me up
I'll calm down
And I'll get along with you
Alright
Shut me up
Shut me up
And I'll get along with you



Mais uma vez o refrão, e ele insiste que ela cale a boca dele que tudo vai ficar bem.


Ah, nada de silêncio, canta aí Julian, porque só se vive uma vez.


4 comentários:

  1. Sabe que eu adoro essas análises que vc faz das músicas, né?
    Acho todas elas sempre pertinentes!

    ResponderExcluir
  2. José Francisco, obrigada! Me divirto fazendo esses posts, que bom que vc gosta. :)

    ResponderExcluir
  3. Fernando10:03 PM

    Caramba, estava procurando por algo nessa sexta fria e acho algo do túnel de 2012 mas tão atual.
    Boas observações, excelente música, reflete meu trajeto nesse último ano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada Fernando! :)
      Essa música é muito boa mesmo.

      Excluir