18.4.12

Analisando a música: Total Eclipse Of The Heart (Bonnie Tyler)

Semana passada vi um episódio de Criminal Minds onde o serial killer da vez matava mulheres que ele já tinha estuprado, e, na primeira vez, ele tinha uma música especial para cada uma. Bizarro. Para uma das mulheres a música era "Making Love Out of Nothing at All" do (argh) Air Supply, e para a outra era "Total Eclipse of the Heart" cantada pela Bonnie Tyler. Em um momento do episódio, o serial killer quis enganar uma das mulheres dizendo que não tinha tocado Total Eclipse e sim a outra música. Essa confusão faz sentido porque as duas músicas foram compostas pela mesma pessoa e são igualmente cafonas.

A Bonnie Tyler surgiu (e desapareceu) na década de 1980 com essa música duvidosa, e uma voz rouca incrível. Ela teve outros sucessos como "It's a Heartache", "Holding Out For a Hero" (quem nunca fez uma aula de aeróbica com essa música?) e até uma versão de "Have You Ever Seen The Rain", se ela fez alguma coisa depois da década de 1980 eu não sei, mas Total Eclipse Of The Heart foi o maior hit da cantora e continua fazendo sucesso até hoje, alías, já virou um clássico.

Voltando a Criminal Minds, Total Eclipse of The Heart é uma música sobre o desespero de uma mulher, faz sentido um serial killer (stalker) se apropiar dessa música. Acompanhem.

(Turn around) Every now and then I get a little bit lonely and you're never coming around
(Turn around) Every now and then I get a little bit tired of listening to the sound of my tears
(Turn around) Every now and then I get a little bit nervous that the best of all the years have gone by
(Turn around) Every now and then I get a little terrified and then I see the look in your eyes
(Turn around bright eyes) Every now and then I fall apart (2x)

(Turn around) Every now and then I get a little bit restless and I dream of something wild
(Turn around) Every now and then I get a little bit helpless and I'm Lying like a child in your arms
(Turn around) Every now and then I get a little bit angry and I know I've got to get out and cry
(Turn around) Every now and then I get a little bit terrified but the I see the look in your eyes
(Turn around bright eyes) Every now and then I fall apart (2x)

O cara deu as costas e ela decide contar tudo que ela sente de vez em quando (e só um pouquinho), pedindo para ele olhar na cara dela. Então, de vez em quando ela: fica um pouco cansada de escutar o som das próprias lágrimas, fica nervosa que perdeu tempo, entra em pânico quando vê o olhar dele (que deve ser uma boa virada de olhos), fica inquieta quando sonha com alguma coisa louca, se sente impotente nos braços dele, fica com raiva e precisa chorar; e, claro, desaba. Ufa!
Se juntarmos todos esses "de vez em quando" vai ser igual a um "tempo todo", ou seja, essa mulher nunca está bem.

liz lemon mostrando uma virada de olho

And I need you now tonight
And I need you more than ever
And if you only hold me tight
We'll be holding on forever
And we'll only be making it right
'Cause we'll never be wrong together
We can take it to the end of the line
Your love is like a shadow on me all of the time
I don't know what to do and I'm always in the dark
We're living in a powder keg giving off sparks
I really need you tonight
Forever is gonna start tonight
Forever is gonna start tonight



Refrão e fase stalker mulher apaixonada (e iludida) da música. Ela tenta convencer que precisa dele, mais do que nunca, que é só ele a segurar que ficarão juntos para sempre, e que estarão fazendo tudo certo porque nada entre eles pode estar errado. "Vamos levar isso até o fim, seu amor é uma sombra sobre mim" (que rima péssima essa que fiz). MEDO. Aí ela confessa que não sabe o que está fazendo, que estão vivendo num barril de pólvora saindo faíscas. PARA TUDO. Gente, barril de pólvora é bom demais! Toda vez que escuto essa parte da música só penso em uma coisa:
coiote e papaléguas: amor eterno

Ela insiste que precisa dele hoje a noite, que "para sempre" vai começar ali. (foge que é cilada!)
Once upon a time I was falling in love
Now I'm only falling apart
Nothing I can do
A total eclipse of the heart
Once upon a time there was light in my life
Now there's only love in the dark
Nothing I can say
A total eclipse of the heart
Aí eu fico com pena dela porque um dia ela estava se apaixonando, mas agora só está desmoronando e não pode fazer nada. (detalhe do uso de "once upon a time", frase que inicia todos os contos de fadas) Era uma vez uma vida iluminada, e agora só amor na escuridão.
Essa música tem muitas coisas duvidosas, mas gosto de "eclipse total do coração", acho poético. #prontoconfessei
A música repete o refrão, mas uma eclipse total do coração. (O que está acontecendo que só faço rimas cafonas?)
O video dessa música merece uma outra análise: a Bonnie Tyler em um colégio para rapazes que tem até ninjas bailarinos (oi?).

11 comentários:

  1. Se você achar interessante, poderia fazer com a música "I want it that way" dos Backstreet Boys.

    :-)

    ResponderExcluir
  2. sugestão anotada! :)

    ResponderExcluir
  3. Anônimo2:55 AM

    Mas no clip da a entender que é uma mulher apaixonada por um aluno que ela chama de 'olhos brilhantes',ele esta se formando e ela se da conta que o relacionamento acabou porque ele é jovem para ela

    ResponderExcluir
  4. @ Anonimo,
    então, no clipe ela está desesperada (a música é sobre essa mulher desesperada/apaixonada) dentro do colégio, corre pelos corredores no meio da noite com vento nas portas, tem ninjas bailarinos, homens das cavernas de fralda (sei lá o que é aquilo), jogadores de futebol americano e tal. Ela é a tal mulher da música que está apaixonada, que provavelmente teve um caso com o carinha, mas está vendo que não vai dar certo (porque o cara é aluno da escola, ou porque é jovem, etc).
    Pode ser também que ela tenha tido um sonho erótico com um aluno e no dia seguinte foi lá apertar a mão dele.

    Aliás, esse é um dos clipes dos anos 1980 que retratam bem a letra da música (e é tão cafona quanto).

    ResponderExcluir
  5. Anônimo4:29 PM

    Sinceramente, acho que cafona é a opinião preconceituosa de vocês! Na minha opinião não existe elegante, clássico (ou sei lá como chamam o gosto musical que vocês têm, que aliás deve ser alguma referência mundial a ser seguida) ou "cafona", existem estilos que agradam a cada tipo de público. Se as letras, músicas e clipes fossem mesmo tão "cafonas", acho mesmo que não teriam nem perdido seu tempo preciso (o qual poderiam estar ouvindo músicas aos seus níveis intelectuais) escrevendo textos dirigidos a eles.

    ResponderExcluir
  6. @anonimo, não acho que cafona seja uma opinião preconceituosa (pode até ser, mas não é o caso), tanto que escuto essa musica e gosto. Porém é quase fato que tanto a musica quanto o clipe sao exagerados e datados. Meu gosto musical é tudo isso que você disse: elegante, clássico e inclusive cafona (e bobo e datado). Não o acho melhor do que ninguem e muito menos uma referência a ser seguida, mas posso gostar e desgostar de muita coisa.
    Discordo de você e acho que um estilo pode sim agradar vários públicos, pessoas podem ser ecléticas.
    Posso achar uma musica cafona e escutar até cansar e achar outra um classico e nunca ouvir uma nota. Aliás, é a minha opinião, ninguém tem que acatar, cada um com a sua. E um pouco de senso de humor não faz mal a ninguém.

    ResponderExcluir
  7. Hoje tive uma feliz coincidência de conhecer uma página no facebook que mostra vídeos dos anos 80 e 90, eu nasci nessa década e vivi um pouco de tudo isso, hoje sou publicitária e quando vejo um trabalho como esse me emociona, eu vejo tudo que foi feito por de trás das câmeras eu sei como é trabalhoso, eu respeito e admiro muito pelo fato que na época não tinha equipamentos como os de hoje e mesmo assim ficava ótimo, existia muita criatividade e imaginação do que as coisas que vejo hoje em dia.

    �� produção do vídeo
    �� música
    �� cantora
    �� edição
    �� cenário
    �� roupas
    �� takes cortados lindamente
    �� enquadramento
    �� planos
    �� historia
    �� roteiro
    �� atores e dançarinos
    �� a cena acompanha o tempo da música...
    �� muita inspiração ��
    ������❤️❤️❤️������

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Elaine, naquela época o pessoal tinha que se virar mesmo nos 30. Acho que ousavam mais e tinha ainda muita influência do psicodélico anos 70. :)

      Excluir
  8. O que ela quer dizer quando fala a seguinte frase(viri-se olhos brilhantes)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Vire-se olhos brilhantes" é para o cara virar e olhar para ela. (e ele deve ter uns olhos lindos e brilhantes)

      Excluir
  9. sempre tive grande curiosidade ppor esse classico, o clip mais ainda, esse artigo n ajudou mto, curto demais esse som, deixando bem claro para todo o mundo ler.

    ResponderExcluir