13.1.15

+Filmes

American Sniper

Bradley Cooper faz o atirador de elite Chris Kyle, que foi um dos mais eficientes na ação dos americanos no Afeganistão e Iraque. Chris era um patriota em primeiro lugar, ele acreditava mesmo em defender seu país. Durante nove anos foi para o meio da zona de guerra ajudar os soldados a ficarem seguros.

Ele tinha uma visão perfeita e provavelmente enxergava agulha no meio do palheiro com facilidade.

Guerra é uma coisa confusa. Ambos os lados tem suas razões, ambos tem mocinhos e vilões. Ainda mais nos dias de hoje que é quase tudo na base do video game, pessoas numa sala apertando botões para que drones joguem bombas. É tudo tão absurdo e violento. Quem sofre mais é quem está la no meio sem ter como sair.

O Clint Eastwood dirigiu essa biopic (sim, é baseado numa pessoal real - mas eu só descobri no fim do filme) e dificilmente um filme dele é ruim, ainda mais com o Bradley Cooper.

Além da zona de guerra também mostra Chris com sua família nas poucas vezes que ele estava em casa e na dificuldade que os soldados tem ao retornar da guerra.

A Tia Helo provavelmente bateria continência para o Chris. 372 "Ai, Jesus!" para cada tiro que ele deu.


Birdman

Um filme sobre um ator que fez sucesso com um personagem superherói (o tal Birdman) há 20 anos e ainda tenta ser um ator levado a sério. Para isso ele adaptou e montou uma peça, dessas filosóficas, mas esbarra no seu ego que conversa com ele com uma voz grave.

O Michael Keaton foi o Batman mais de 20 anos atrás, mera coincidência? Não sei, mas Birdman é muito bom. E ele está ótimo no papel.

Edward Norton está muito bom no papel de um ator egocêntrico que o personagem do Michael Keaton contrata para trabalhar na peça.

O Alejandro Gonzalez Iñarritu dirigiu esse filme de uma forma genial. Ficou de um jeito que parece que foi um só take e a camera está sempre acompanhando alguém. A trilha sonora é um espetáculo a parte: mais da metade do filme é só uma bateria (até parece que o baterista de Whiplash estava nesse filme).

Já estou torcendo para esse filme ser indicado ao Oscar.

A Tia Helo ia achar tudo uma grande viagem na maionese e ia ficar meio tonta com a camera, 683 "Ai, Jesus!" para o homem pássaro.

2 comentários:

  1. Anônimo10:24 AM

    Me diga se a maioria quando sai bebê pra animar é isso q ela faz festa é ilusão quando vc chegar em cs aquele silêncio perturba

    ResponderExcluir