28.1.16

+Filmes

MacBeth

Michael Fassbender está ótimo nessa adaptação da peça do Shakespeare sobre o monarca que, depois de saber de uma profecia de umas bruxas, faz de tudo (incentivado por sua esposa evil Lady MacBeth) para ser o Rei. E depois de ver uma temporada inteira de Outlander (mais alguns filmes tipo Braveheart e Rob Roy) sei do que um escocês é capaz (ui ui ui).

Acontece que a coroa vem com uma dose de paranóia.

Esse filme é todo com falas da peça de shakespeare, falado naquele inglês antigo com sotaque escocês, ou seja, tem que ler a legenda. Tirando a Lady MacBeth que é interpretada pela francesa Marion Cotillard, e o Fassbender que falava um pouco mais claro, eu não entendia mais ninguém.

É um filme interessante. Fassbender saindo molhadinho do lago gelado vale o ingresso.

A Tia Helô ia até se identificar com tanta paranóia. 217 "Ai, Jesus!" para o MacBeth e suas amigas bruxas.


Creed 

Esse é o sexto filme da série do Rocky Balboa e é melhor aproveitado se você viu, pelo menos, os 4 primeiros.

Nesse filme o filho ilegítimo do Apollo Creed, Adonis, decide largar o emprego num escritório e ser boxeador. Ele quer fazer um treinamento old school e vai até a Filadélfia atrás do "tio" Rocky. E aí temos um roteiro clássico de filmes de esporte: treino, primeira luta, mais treino, namorada, momento "não vou fazer mais isso", obstáculo emocional, mais treino e luta final. Tudo muito bem feito, bem dirigido e com uma trilha sonora muito boa.

Sylvester Stallone é o Rocky Balboa e é digno como ele aceitou envelhecer nesse filme. Michael B Jordan (que acho ótimo desde Friday Night Lights) é um talento e esse filme certamente cresceu por causa dele.

Eu gostei. As escadas do Museu da Filadélfia estão lá, mas a subida nas escadas é um pouco diferente.

Sylvester Stallone foi indicado ao Oscar de ator coadjuvante. Merecido. E acho que esse filme poderia estar lá entre os melhores do ano.

A Tia Helô ia fechar os olhos em cada soco dado. 356 "Ai, Jesus!" para Rocky e Donny.

Truth

Os jornalistas do programa 60 Minutes da CBS foram atrás da história do George Bush, na época que ele era candidato a presidente, sobre seu serviço militar.

Depois que o programa foi ao ar os jornalistas foram acusados de terem usado documentos falsos e aí segue toda uma investigação sobre como as informações chegaram a produtora do programa.

A terceira temporada de The Newsroom foi sobre a mesma coisa. Ambos são bons, tanto o filme quanto a série.

Robert Redford faz o apresentador Dan Rather e Cate Blanchett faz a produtora Mary Mapes.

A Tia Helo não ia dar a mínima para essa fofoca toda. 15 "Ai, Jesus" para a fonte new times roman.


Anomalisa

Um filme feito em stop motion sobre solidão, mesmice, busca por algo diferente, e talvez amor. O Charlie Kaufman deve ter uma mente bem esquisita e de lá saem umas coisas estranhas tipo: Brilho Eterno De Uma Mente Sem Lembranças (ótimo), Adaptação (gosto), Being John Malkovich (muito bom), Synedoche NY (bizarro mas gosto).

Em Anomalisa o escritor de auto ajuda Michael Stone está indo para mais uma palestra sobre seu livro, a vida dele é mais do mesmo, e ele está passando por um momento filosófico. O interessante é que todas as outras pessoas tem a mesma voz: mulheres, homens e crianças. Michael está encasquetado com uma carta que recebeu de uma ex-namorada anos atrás quando terminaram o namoro e decide encontrar com ela. Esse encontro não vai nada bem e de volta no quarto o Michael escuta uma voz diferente e vai atrás de saber de onde vem.

É assim que ele conhece a Lisa que colore a noite com sua voz diferente. Bem, até o café da manhã.

A idéia do filme é boa, até o fato de ser filmado com bonecos parecidos em stop motion faz todo sentido, mas achei esse filme um pouco chato. Dormi umas 4 vezes no meio.

A Tia Helô não ia achar nada demais na vida depressiva do Michael. 143 "Ai, Jesus" para aqueles nudes pós-banho do boneco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário