5.8.11

Book Report: The Tenant at Wildfell Hall - Anne Brontë

Já li Emily e já li Charlotte. Estava faltando ler um dos livros da irmã Brontë mais nova: Anne.

Anne escreveu dois livros: Agnes Grey, que foi lançado junto com Wuthering Heights, da irmã Emily, e esse The Tenant at Wildfell Hall. Escolhi esse porque já tinha lido Jane Eyre e não queria outra história de uma governanta.

Anne não tem a eloquência de Charlotte, nem a paixão de Emily, mas a seu favor tem um detalhismo impressionante, e, das três, é a que melhor observou e traduziu a sociedade da época. Enquanto Emily se prende no amor de Heathcliff pela chatinha da Cathy e Charlotte no mimimi entre Jane e o Mr. Rochester, Anne trata de assuntos mais realistas como alcoolismo e casamentos desfeitos. Ela é mais dura com seus personagens e seus leitores.

(Spoilers from now on)

O livro conta a história da Sra. Graham que aluga Wildfell Hall e passa a morar lá com seu filho Arthur. A Sr. Graham é jovem, bonita e misteriosa, atiçando a curiosidade dos vizinhos, e despertando o interesse do jovem Gilbert.

Os vizinhos passam o tempo especulando o que a Sra. Graham faz da vida e qual a sua relação com o Sr. Lawrence, um solteiro requisitado na região, especialmente pelas jovens fofoqueiras. Acontece que o Gilbert está acima de tudo isso e vai conquistando a Sra. Graham pelo garotinho Arthur até que ficam amigos. A Sra. Graham, Helen, para os íntimos, vê que o Gilbert está arrastando um muro de pedras por ela e decide por fim a essa paixonite. Diz para ele encontrá-la no morrinho que ela vai contar seu segredo. Gilbert não vai porque acha que descobriu que ela tem um caso com o Sr. Lawrence, mas Helen o entrega seu diário assim mesmo.

A partir daí conhecemos toda a história de Helen. Quando ela tinha 18 anos sua tia queria que ela se casasse com um tiozinho rico da região, mas Helen queria um jovem bonitão: Arthur Huntingdon. A tia disse que o tal Huntingdon não era bom partido, mas Helen se achando super esperta acabou aceitando o pedido dele e se casou.

Com o tempo Helen começou a desconfiar que seu maridinho Arthur gostava mesmo era de uma boa festa, e ele passava meses em Londres com os amigos (dizia que não a levava porque ela exigia muita atenção, e Helen o questionava). E quando não estava em Londres ele chama os amigos para sua casa no campo. E tome vinho, muito vinho. Além disso tudo, ainda tinha a amiga falsa Annabelle que dava em cima do Arthur, mesmo casada com um amigo dele. A gota d'água, ou de vinho, para Helen não foi quando ela descobriu o caso de seu marido (ela até aceitou e decidiu que viveriam na mesma casa sem convivência), foi quando ela viu que seu filho poderia também se tornar alcoolatra já que o pai oferecia vinho para o menino de 5 anos. (Segundo o livro, parece que isso na época era super comum)

Helen, então, pega seu filho, abandona o marido e vai viver escondida em Wildfell Hall, perto de seu irmão Sr. Lawrence (Oh!). Para ganhar dinheiro ela pinta paisagens e manda vender em Londres. Gente, pausa. Vocês sabem o escandalo que era uma mulher abandonar o marido em plena era vitoriana?? Em um momento ela bate a porta na cara do marido.

Depois que o Gilbert lê todo o babado ele vai se desculpar com a Helen, e ela diz que está indo embora. Ele jura amor eterno, mas ela, mulher calejada pela vida, diz que em 6 meses, se ele ainda estiver interessado, ele pode escrever uma carta que ela irá responder.

Gilbert fica sabendo que ela voltou para cuidar do marido doente (porque ela era uma alma caridosa, aham claudia, senta lá), ainda sofre um certo bullying do alcoolatra, mas fica até a morte dele. Os tais 6 meses passam e Gilbert, muito orgulhoso, não escreve, e ainda passa um ano e ele não escreve.

As amigas fofoqueiras contam para Gilbert que a Sra. Graham está de casamento marcado com o Sr. Hargraves (um vizinho dela e irmão de uma amiga que ficava cortejando quando ela era casada, mas ela não gostava dele não). Gilbert se desespera e vai atrás do prejuízo. Chegando no lugar onde estava Helen, ele descobre que quem casou foi o Sr. Lawrence e que Helen ainda estava livre, leve, solta e muito rica. Eles se encontram, ele faz charminho dizendo que ela é rica e não vai querer nada com ele, e ela diz que quer sim, mas que só vai casar dali um ano (porque não bastou ele esperar esse tempo todo, claro).

(fim dos Spoilers)

O livro é escrito em duas formas, primeiro é o Gilbert escrevendo uma carta para um amigo, no meio temos o diário de Helen, e no final algumas cartas que ela escreveu para o Sr. Lawrence.

Eu gostei, achei muito interessante, ainda mais sabendo a história das irmãs Brontë (elas tinham um irmão alcoolatra que teve um caso com uma mulher casada). Em muitos momentos os detalhes excessivos me cansavam, mas não atrapalharam.

Tanto a Helen de Anne, quanto a Jane de Charlotte são mulheres fortes, decididas, quase modernas. Emily não foi capaz de criar uma personagem tão forte, vide a chaaaata da Cathy, mas ainda acho que o Heathcliff dela o melhor de todos. Rock Star. #prontofalei

2 comentários:

  1. Anônimo2:37 PM

    Você leu em inglês?
    Poxa queria ler, mas precisa ser em português, não acho :(
    E em seguida queria ver o filme, série não sei, mas também não acho!

    ResponderExcluir
  2. Li em inglês, mas tem em português sim, vi na saraiva.
    Acho que não tem filme, só a série. A série é muito boa, bem fiel ao livro e não é muito longa, só 3 episódios. :)

    abs!

    ResponderExcluir