28.1.14

Analisando a música: Royals (Lorde)

Domingo foi dia de Grammy e o Daft Punk levou grammy de melhor album do ano por Random Access Memories e mais alguns por Get Lucky. Teve até uma cerimônia de casamento para vários casais com Macklemore e Ryan Lewis cantando Same Love com Mary Lambert, Queen Latifa oficializando e benção da Madonna.

No meio de um bando de gente da década de 1970 (Paul McCartney e Ringo tocaram juntos, Chicago ressurgiu, Black Sabbath, Nile Rogers e Stevie Wonder ainda tem swing de sobra, etc) apareceu uma tal de Lorde ganhando 2 grammys: melhor performance pop solo e música do ano.

(o Grammy tem categorias que só o Além da Imaginação pode explicar, mas isso fica para outro dia)

Minha pergunta foi: quem é Lorde na fila do pão?

No palco parecia a Vandinha Addams com trinta anos de idade ou uma fã perdida do The Cure. A apresentação da música dela foi boa, mas cheia de espasmos na coreografia. Aí fui no bom e velho youtube saber quem era essa moça tão gótica.

No video oficial pareceu outra pessoa e outra música. A menina do video tem cachinhos castanhos lindos e a música começa forte mas entra no embalo teen. Aí reconheci a música de alguma das novelas no ar, só que eu achava que era da Rihanna (deve ser porque começa falando de diamonds).

Claro que a música ia ser teen, Lorde é uma neo-zelandesa de 17 anos.

Royals é do primeiro album dela, "Pure Heroine", que não sei se tem outras músicas boas. Talvez Royals seja um dos one hit wonders dessa década, mas Lorde é nova, ainda tem tempo para produzir muito mais e mudar muitas vezes de visual (vide Madonna).

Mas sobre o que é essa música que fica grudada na cabeça da gente? Que realeza é essa?

Vamos analisar.

I've never seen a diamond in the flesh
I cut my teeth on wedding rings in the movies
And I'm not proud of my address
In a torn-up town, no post code envy

É uma música que fala de jovens que não se importam muito com que a indústria da música (propagandas e filmes) considera bom na vida e quer vender. Royals até rendeu uma polêmica porque a maioria das coisas que ela menciona como futilidade dos ricos e famosos são coisas relacionadas ao pessoal do hip hop e rappers (e a galera do Pop). Acontece que a Lorde é lá da Nova Zelândia onde tudo é natureza, limpinho, poluição visual zero, e ela é uma menina de 17 anos que escreve músicas usando suas referências e o que tem para comparar. Só isso. A Jessie J fala do mesmo assunto na ótima Price Tag.
E ela começa dizendo que nunca viu um diamante de verdade, só nos filmes. Não tem orgulho do seu endereço numa cidadezinha derrubada qualquer (as cidadezinhas na NZ são meio sonolentas), mas não tem inveja de nenhum outro código postal.

But every song's like gold teeth, grey goose, trippin' in the bathroom
Blood stains, ball gowns, trashing the hotel room
We don't care, we're driving Cadillacs in our dreams
But everybody's like Cristal, Maybach, diamonds on your time piece
Jet planes, islands, tigers on a gold leash
We don't care, we aren't caught up in your love affair

Aí vem a lista de um bocado de coisas que as músicas falam: dentes de ouro, vodka, drogas no banheiro, sangue, vestidos de festa, quebrar quarto de hotel, champagne, carros, relógios com diamantes, aviões, ilhas e até tigres com coleiras. (será as rádios kiwis não tocam nenhuma música sobre fim de relacionamento?) Mas Lorde e seus amigos não se importam com nada disso, dirigem Cadillacs em seus sonhos (usam transporte público acordados) e não estão nem aí para casos amorosos dos famosos. Esse caso de amor também pode ser a relação dos ricos e famosos com o dinheiro, e ela está dizendo que não estão presos (no meio) disso, que não os interessa.

And we'll never be royals
It don't run in our blood
That kind of luxe juste ain't for us
We crave a different kind of buzz

"Nós nunca seremos realeza, não está no nosso sangue (nem no bolso), esse tipo de luxo não é para nós, queremos outro tipo de barato". Seria esse barato bungy jumping? Downhill bike? Afinal a Nova Zelândia é a meca dos esportes radicais.

Let me be your ruler
You can call me queen Bee
And baby I'll rule, I'll rule, I'll rule
Let me live that fantasy

Mas de alguma forma ela quer reinar, ser a abelha rainha, nem que seja uma fantasia. (Queen Bee é uma referência a menina que manda no high school, quase uma mean girl. E também é como a Beyoncé é conhecida.)

My friends and I - we've cracked the code
We count our dollars on the train to the party
And everyone who knows us knows that we're fine with this
We didn't com from money

Lorde e azamigues já descobriram o truque, mas não diz o que é (deve ser que as coisas que a realeza ostenta nem são tão legais assim). Eles vão com o dinheirinho contado para festa, mas tudo bem, eles não vem de famílias ricas anyway.

But every song's like gold teeth, grey goose, trippin' in the bathroom
Blood stains, ball gowns, trashing the hotel room
We don't care, we're driving Cadillacs in our dreams
But everybody's like Cristal, Maybach, diamonds on your time piece
Jet planes, islands, tigers on a gold leash
We don't care, we aren't caught up in your love affair

Temos a listagem dos bens de consumo mais uma vez, mas eu duvido que a Lorde não goste de uma boa fofoca. Aposto que ela dá uma olhadinha na Caras kiwi no cabeleireiro.

And we'll never be royals
It don't run in our blood
That kind of luxe just ain't for us
We crave a different kind of buzz
Let me be your ruler
You can call me queen Bee
And baby I'll rule, I'll rule, I'll rule
Let me live that fantasy

Realeza eu também nunca vou ser, Príncipe Harry não me da bola. Adoro esse "I'll rule" como se fosse um lobinho uivando. O que a realeza vende não é o que a vida real oferece, então deixa ela viver a fantasia.

We're bigger than we ever dreamed
And I'm in love with being queen
Life is great without a care
We aren't caught up in your love affair

Aqui ela diz que são maiores do que sonharam, que ela adora ser a rainha, que a vida é ótima sem preocupação, mas não está interessada nesse caso com dinheiro e ostentação (a palavra da moda). Resumindo: não tem inveja, mas não é nada mal ter dinheiro. Como boa adolescente está indecisa. Lorde, depois me conta como é a vida pós-dois grammys. (Cristal, Maybach....)

And we'll never be royals
It don't run in our blood
That kind of luxe juste ain't for us
We crave a different kind of buzz
Let me be your ruler
You can call me queen Bee
And baby I'll rule, I'll rule, I'll rule
Let me live that fantasy

Boa sorte em tirar essa música da cabeça. Auuu, auuuuuu, auuuuuuuuu.

O video mostra como é a vida meio parada da Nova Zelândia. Os rapazes estão todos meio apáticos, entediados. Eu adoro a Nova Zelândia, é um dos lugares mais bonitos que já fui (fui duas vezes e voltaria), mas, como eu disse, é para curtir a natureza, fazer caminhadas, esportes radicais. Festa não é com eles.





A fofa da Lorde até escreveu uma cartinha para os fãs depois do Grammy. 

Um comentário: