25.8.12

Analisando a música: Ray of Light (Madonna)

A Madonna está na minha lista de músicas para analisar, o difícil é escolher uma das várias que gosto, então o Rod facilitou a minha vida e pediu essa nos comentários. Provavelmente a primeira de muitas.

Confesso que não sou tão fã da Madonna assim. #prontofalei 
Claro que gosto de várias músicas dela, os clipes são geniais, acho impressionante que ela se mantém no topo há quase 30 anos (é, amigos, eu lembro bem de quando ela lançou Holiday), entretanto, nunca fui a um show dela (porque não quis) e não me interesso muito por suas polêmicas, coisa que ela faz muito bem. Gosto mesmo é de dançar e correr com as músicas dela.

Acho incrível como a Madonna é vanguarda. Ela está sempre um passo a frente do resto das cantoras pop, desde a escolha dos produtores até a identidade visual da vez. Tia Madge tem um faro excelente para o sucesso, sabe reconhecer talento e investe (cantores, compositores e produtores musicais, diretores de videos, modelos, etc). Nenhum de seus álbuns é igual, nem na aparência nem nas músicas, ela está sempre atual e ainda lança moda. Não é a toa que se mantém relevante.

O primeiro álbum da Madonna é com músicas dançantes, quase adolescentes, e ela cantava com uma voz estridente (mas tem uma das minhas favoritas: Boderline). O segundo álbum já foi o início de sua fase polêmica e todo mundo conhece Like a Virgin. Depois veio True Blue, que tem a ótima Papa Don't Preach, mas tem a péssima La Isla Bonita. A Madonna continuou polemizando com o Like a Prayer (que tem outra favorita: Express Yourself), depois Erotica (que ela lançou junto com o livro Sex e o video proíbido para menores de Justify My Love) e deu sequência com o suave Bedtime Stories (que tem outra música que gosto muito, Human Nature). Ainda tem as músicas que ela fez para filmes (ou cantou neles) como: o álbum I'm Breathless para o Dick Tracy (que tem Vogue), Who's That Girl, Desperately Seeking Susan, Evita e duas músicas na trilha sonora de Vison Quest (um filme dos anos 1980 que ninguém viu, mas tem Crazy For You).

Ray of Light, de 1998, foi o primeiro albúm depois do nascimento da Lourdes Maria, Lola para os íntimos, a primeira filha da Madonna. Nessa fase a Madonna começou a se interessar por ioga e pela kabbalah, mas também por música eletrônica. O primeiro single do álbum lançado foi Frozen, uma música densa, e depois veio a animada Ray of Light. Outro single foi The Power of Good-bye (que ela nos apresentou ao lindo Goran Visnjic).

Depois de Ray of Light, Madonna fez mais 5 álbuns (Music, American Life, Confessions on a Dance Floor, Hard Candy e, o mais recente, MDNA), mas isso fica para um outro post.

Vamos ao que interessa: o raio de luz.

Ray of Light é uma versão de Sepheryn, uma música dos anos 70 de Curtiss Maldoon. Quem? Curtiss Maldoon é uma banda folk inglesa formada por Dave Curtiss e Clive Maldoon. Madonna junto com seu produtor William Orbit e a arranjadora Chritsine Leach, pegaram a música da dupla folk, mudaram a letra um pouco, adicionaram a batida eletrônica e nasceu Ray of Light.

Madonna na sua fase esotérica kabalística deve ter sentido uma vibe era de aquário na música original e decidiu trazê-la para o novo milênio numa versão eletrônica/techno/trance/whatever. Porque o que importa é chacoalhar o esqueleto.

Zephyr in the sky at night I wonder
Do my tears of mourning sink beneath the sun
She's got herself a universe gone quickly
For the call of thunder threatens everyone

Zephyr é um vento leve ou o vento que vem do oeste, se referindo ao deus grego do vento do oeste: Zéfiro. Adoro que os gregos tem deuses específicos, descentraliza a responsabilidade. Então, bate um ventinho a noite e a Madonna se pergunta se suas lágrimas de tristeza (ou de luto) vão desaparecer quando o sol surgir. (pela animação da música, a resposta é sim)
Aí surge uma mulher ou garota, "ela", ou a Madonna está referindo a si mesma na terceira pessoa. Ela tem um universo que se move rapidamente, porque o chamado do trovão ameaça a todos. O que posso concluir dessa frase? Que é bom a mulher andar logo e fazer tudo senão o trovão vai pegar?
Ou será que ela ameaça a todos pelo chamado do trovão?  Ou é uma forma de dizer aproveite o dia, carpe diem?

And I feel like I just got home
And I feel

De todo o jeito a Madonna se sente em casa, encontrou o nirvana.

Faster than the speeding light she's flying
Trying to remember where it all began
She's got herself a little piece of heaven
Waiting for the time when Earth shall be as one

Não basta a tal mulher ser mais rápida que a luz, ela voa mais rápido do que a luz acelerada. Gente, isso é MUITO rápido, nem Usain Bolt é tão veloz. Tão rápido que é quase impossível. Uma equação para vocês: E=mc². Onde essa mulher está voando? Com a ajuda do pessoal do CERN? Ok, estou tentando racionalizar forças ocultas (como diria a Carminha #oioioi), e provavelmente a Madonna se refere as coisas da Kaballah. Anyway, no meio de vôo super veloz, a tal mulher está tentando se lembrar onde tudo começou. Se for o universo, foi no Big Bang. #ficadica
Acontece que essa mulher já tem seu pedacinho do paraíso, onde ela espera pela paz mundial. Eu espero que ela esteja bem confortável porque vai demorar.

And I feel like I just got home
And I feel

E a Madonna no nirvana, yay! Ommmmmmm.

Quicker than a ray of light (3x)

Outra vez a mulher no CERN.

Zephyr in the sky at night I wonder
Do my tears of mourning sink beneath the sun
She's got herself a universe gone quickly
For the call os thunder threatens everyone

Voltamos ao Zéfiro e o vento do oeste. Será que o vento do leste não é bacana?

And I feel
Madonna, eu também sinto.

Quicker than a ray of light
Then gone for
Someone else will be there
Through the endless years

Então, mais rápida que um raio de luz, se foi. Agora outra pessoa estará lá por todos os anos sem fim. Lá onde? No pedacinho do paraíso? No universo que se move rapidinho? Esse pessoal religioso esotérico adora um mistério.

She's got herself a universe (3x)
E ela tem um universo!

And I feel
And I feel like I just got home
E a Madonna super a vontade.

Quicker than a ray of light she's flying
Quicker than a ray of light I'm flying

E a Madonna conclui que se a tal mulher pode voar mais rápido do que o raio de luz ela também pode. Com a influência que a Tia Madge tem, conseguir uma vaga no CERN é fácil.  Que venha a Nova Era!

O video é ótimo! É um dia em várias cidades passando rapidinho, com o efeito time lapse. A Madonna parece estar numa viagem psicodélica.

Que horas é a aula de spinning?


7 comentários:

  1. Anônimo4:54 PM

    AMEI! Muito brigado!!! kkkkkkkkkk Nunca tinha entendido, mas agora ficou melhor! Não sei se é pedir demais, mas se você quiser (tiver tempo também rs) pode fazer essas aqui dela:
    American Life, X-Static Process, Deeper And Deeper, Masterpiece... são as mais complicadas de entender :P
    Mas é só pra te ajudar a fazer as mais difíceis, faz se tiver tempo ok?
    E eternamente grato pela análise dessa *-*
    -Rod.

    ResponderExcluir
  2. Oi Rod!

    Que bom que você gostou. :)

    Vou guardar as outras sugestões para a próxima vez que eu resolver analisar uma música da Madonna.

    bjs!

    ResponderExcluir
  3. Adoro Madonna e adorei a análise. Mais que isso, não sabia que Ray of Light era uma versão. Vc sempre me surpreende, hein!

    ResponderExcluir
  4. Pois é, eu também só descobri que era uma versão quando fui analisar a música. :) A Madonna é esperta, ela mudou a música um pouco e colocou o nome dela, junto com todos os outros (os compositores originais e os amigos dela) como autores da música.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo11:23 PM

    TIA HELÔ <3
    amo seu blogs, seus postsss... mas suas análises são o PARAÍSO! encontrei o significado de muita coisa!!!
    brigadão!!!
    posso pedir um favorzão???
    eu te imploro de JOELHOS!!!
    tem como fazer uma análise de Bringin on the Heartbreak do Def Lappard? (depois regravada pela Maraiah Carey, acho que é assim que escreve)... nunca tendi, mas amo essa música e preciso fazer uma resumo sobre ela pro curso. me ajuda tia???
    BRIGADÃÃO!
    -Vânia

    ResponderExcluir
  6. Vânia,

    Tem muitas outras músicas na fila...(e não curto muito dessa música) mas posso te dizer que Bringin on The Heartbreak é sobre fim de relacionamento/cara sofrendo pela menina/mimimi. Ele chama a mulher da música de cigana porque ela está a procura de um sentimento fácil (que vai e vem com facilidade), nada de se apaixonar profundamente, ela é misteriosa, livre. Ela é como uma vela queimando, derretendo, sumindo, e incendiando ele. Por isso ela traz toda mágoa e sofrimento (para ele). Ele deu o melhor de si e ela só pisou.

    (eu não gosto da Mariah Carey de jeito nenhum, mas a versão dela é melhor do que a do Def Leppard. E ela nem grita nessa música)

    ResponderExcluir
  7. Anônimo11:23 PM

    Amei o post. Mas dizer que La Isla Bonita é péssima dói. É uma das melhores da década de 80.

    ResponderExcluir